O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Preconceito linguístico

Com a chegada dos colonos, escravos, e imigrantes no Brasil, a língua nativa (Tupi-Guarani e suas vertentes), sofreu constantes mudanças ao decorrer do tempo. Sendo assim, com a miscigenação dos idiomas, destacando-se o português, originou-se a variação linguística, que até hoje não é compreendida pela sociedade. Nesse contexto, deve-se analisar como ocorre o preconceito linguístico e como este impasse afeta a educação.
O etnocentrismo linguístico é um dos principais fenômenos causadores do preconceito. Isso ocorre quando um indivíduo coloca a sua forma de se comunicar como superior às demais, marginalizando e estereotipando, pejorativamente, o falante de uma região ou nível social distinto do seu. Um exemplo disso é visto na mídia, onde muitos programas de televisão retratam
o nordestino como caipira, pobre e subdesenvolvido, fazendo com que seus telespectadores padronizem as pessoas dessa região, de acordo com o personagem.
Além disso, nota-se, ainda, a discriminação nas escolas por conta das disparidades na comunicação. Assim, segundo pesquisas sociolinguísticas em escolas do 6° ao 9° ano, 35% dos alunos sofrem ou já sofreram algum tipo de preconceito por falar "errado". Por consequência, muitos alunos se sentem coagidos ao se expressar, e muitos professores não sabem como intervir nessa situação, contribuindo para o retardo do aprendizado.
Torna-se evidente, portanto, que a questão do preconceito linguístico no Brasil precisa ser resolvida. Em razão disso, o ministério da educação, em parceria com a mídia, deve promover campanhas que abordem sobre o respeito a diversidade da língua, a fim de desconstruir os estereótipos implantados. Ademais, a Secretaria Municipal de Educação, juntamente com as escolas, deve frisar, nas aulas de geografia e história, os processos que encaminharam para a formação da fala e cultura em cada região, para que se torne natural a aceitação dessas diferenças. Dessa forma, com a instrução adequada e a compreensão dos cidadãos, o preconceito linguístico deixará de ser um problema no país.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!