O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Pós-verdade

As notícias falsas sempre existiram, mas com a maior acessibilidade a internet estas estão sendo mais comuns. Um exemplo disso foi visto na eleição para presidente nos Estados Unidos em 2016 onde o nome de Donald Trump era alvo de inúmeras ''fake news''. Desse modo vemos que no Brasil e também nos outros países os boatos circulam em diversas redes sociais mas principalmente no facebook, onde muitos apenas leem a manchete e já compartilham a notícia, sem saber sua veracidade. Devido a isso, deve-se ter uma maior atenção as fontes do que se lê e para isso é necessária uma maior conscientização virtual dos cidadãos.
Os boatos sempre existiram na sociedade, um exemplo é a Guerra do Vietnã, em que o o governo dos Estados Unidos usou uma falsa informação do Incidente do Golfo de Tonkin - em que lanchas teriam sido disparadas em navios americanos-, para iniciar a guerra, entretanto o ocorrido era falso. Com isso, percebemos que uma falsa notícia pode desencadear atos de graves consequências por isso deve-se sempre ler notícias de fontes confiáveis, e sempre averiguar antes de propagar alguma informação. Para que isso seja possível é preciso que se tenha um meio de saber se o que está sendo visto ou lido é verídico, como por exemplo um símbolo de verificação.
Apesar de sempre existirem, as ''fake news'' tem tomado uma maior proporção com as redes sociais, principalmente na plataforma do facebook, em que são compartilhadas diariamente milhares de noticias não verídicas. Essa proporção de compartilhamento de notícias falsas na rede social levou em 2017 o facebook a realizar diversas ações como mudar o algorítimo para que publicações suspeitas sejam automaticamente enviadas para checagem. Com isso, temos um exemplo de como realizar uma ''checagem'' em publicações em redes sociais, mas ainda é necessário que haja uma conscientização das pessoas, com uma educação voltada para o letramento digital.
Em suma, as notícias falsas sempre existiram mesmo sendo desmistificadas em algum momento, elas existem e atualmente tem causado grandes problemas devido sua maior propagação. Por isso, as páginas servidoras de informação e plataformas de redes sociais devem ter uma maior fiscalização de suas publicações e de seus usuários, com algorítimos mais complexos que possam detectar algo que não tenha veracidade e em sites jornalísticos a inserção de um selo verificador. Além de uma fiscalização mais severa, o Ministério da Educação pode incluir nas escolas uma educação voltada para o letramento digital para que desde a infância tenha-se conscientizado de que é necessário saber olhar as fontes das notícias que se é lida. O Governo Federal também pode implementar nas mídias de maior acesso da população propagandas que alertam esse fato para que todos estejam mais atentos, de forma que possamos ter mais atenção ao que lemos, vimos e compartilhamos em nossa vida virtual e não virtual.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!