ENTRAR NA PLATAFORMA
Poluição do ar e seus impactos na saúde da população

       Na mitologia grega, Gaia é a "Mãe-Terra", sendo representada como um elemento primordial para a existência da vida. No entanto, ao contrário do período clássico, a civilização do século XXI não reconhece a importância do meio ambiente para a sobrevivência dos seres vivos, gerando um aumento da poluição, que pode gerar consequências fatais. Nesse sentido, deve-se analisar a danosa influência da poluição ambiental na saúde da população, bem como o risco à qualidade de vida das gerações futuras.


          Em primeira instância, deve-se destacar que a Revolução Industrial, em meados do século XIX, marcou o início do processo de degradação ambiental, a partir do surgimento de automóveis emissores de gases poluentes. Dessa forma, séculos depois, a sociedade brasileira vive os efeitos desse "progresso" a qualquer custo, com o acúmulo de gases poluentes na atmosfera e o aumento de casos de pneumonia, bronquite e enfisemas, representando mais de cinquenta mil mortes por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde. Nesse sentido, explicitam-se os perigos do maior contato da população com gases tóxicos, gerados pela valorização excessiva de indústrias e fábricas em detrimento da saúde da população.


         Por conseguinte, além dos danos gerados para a atualidade, a poluição ambiental também compromete a saúde e qualidade de vida de gerações futuras. Sob tal ótica, o filósofo Hans Jonas afirma ser necessário a adoção, pela sociedade, da "ética da precaução", no sentido de que apenas mudanças de atitudes, visando diminuir a poluição, poderão garantir que as próximas gerações não sejam afetadas por doenças ainda piores. Infelizmente, tal pensamento não é colocado em prática, devido ao lucro que tal precarização da saúde proporciona às indústrias farmacêuticas e automobilísticas em uma sociedade capitalista.


     Torna-se evidente, portanto, a necessidade de medidas efetivas para amenizar o efeito da poluição no Brasil. Nesse sentido, o Ministério da Infraestrutura, em conjunto com o Ministério do Meio Ambiente, deve estimular a produção de biocombustíveis no país, a exemplo do etanol, biodiesel e óleo vegetal, a partir de investimentos financeiros. Além disso, esses órgãos, em parceria com canais midiáticos, como televisão e internet, devem promover campanhas que estimulem a utilização de transportes públicos ou programas como o "Carona Solidária", visando diminuir a quantidade de automóveis poluentes. Somente assim, será possível a formação de um país mais saudável e que reconhece a importância da consciência ambiental para a vida na Terra, assim como a antiguidade clássica.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde