O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Os relacionamentos abusivos em questão no Brasil

Na canção "In my head", da norte-americana Ariana Grande, é perpetuada a mentalidade distorcida de relacionamentos abusivos, sob ilusória idealização de seu parceiro abusador. Com a letra "todos veem um monstro, enquanto eu vejo um anjo" Ariana reafirma esse conceito, transpondo dilemas do que as pessoas enxergam, para o que está fixado em sua cabeça. Nesse contexto, é fato que relacionamentos abusivos são uma realidade atualmente, sendo necessário debate acerca dos fatores que influenciam a progressão da alienação desses órgãos e nas consequências destes.


Em primeiro lugar, é importante entender a necessidade de identificar atitudes que caracterizam um relacionamento abusivo: Gradativamente, o romance não pode ser confundido com a representatividade da ficção dos contos de fada, aonde princesas casam-se com príncipes e vivem felizes para sempre. Essa versão idealizada acaba por se encaminhar o desejo do par perfeito, implementando uma visão distorcida, de forma que se passa despercebida atitudes de possessividade, que são expressas em forma de controle sobre a vida do parceiro, interferindo no cotidiano habitual. Desse modo, devido ao forte desejo de posse que é imposto de forma sucinta sobre o parceiro, advém à um controle social.


Ademais, vale salientar os impactos morais que são impostos pela progressão de relacionamentos conturbados. De acordo com o filósofo Zygmund Baüman, vive-se atualmente um período de amores líquidos, já que devido a meios tecnológicos, os laços humanos, traz consigo fragilidades. Sob esse viés, forma-se casais propensos a relacionamentos abusivos, devido ao envolvimento menos analítico, prosseguindo em fatores que descrevem esse tipo de relação, onde a longo prazo, surgirá atitudes como abuso sexual, agressão verbal, agressão física e manipulação. Assim, as vítimas acabam sem escapatória psicológica de um relacionamento abusivo.


Portanto, é mister que o Estado tome providências para amenizar o quadro atual. Para a conscientização da população brasileira a respeito dos fatores que caracterizam esse tipo de relacionamento, urge que o Ministério da Saúde crie, por meio de verbas governamentais, campanhas publicitarias nas mídias que relate casos em que houve algum tipo de imoralidade em relacionamentos abusivos, afim de alertar possíveis vítimas sobre as sucintas atitudes de seus respectivos parceiros, além de fortalecer a cautela em futuros envolvimentos por meios de aplicativos. Assim, será possível visarmos relacionamentos mais sólidos e de respeito.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!