ENTRAR NA PLATAFORMA
Os desafios da Educação Inclusiva no Brasil
Alicerce da nação

Muito se tem discutido, hodiernamente, acerca da educação inclusiva no Brasil. Pequena permanência no âmbito escolar, maior privilégio educacional para minorias, instituições de ensino com estruturas e professores inadequados, a falta de um currículo nacional comum são alguns dos obstáculos que devem ser superados para que haja uma educação igualitária no país. Por conseguinte, urgem medidas que visem o ato de proporcionar educação de qualidade para todas as esferas sociais do território.

De fato, um dos maiores desafios relacionados à qualidade da educação é o de promover a permanência dos alunos nas instituições de ensino. O número de estudantes que concluem o ensino fundamental ainda é muito baixo. Segundo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, de cada 100 alunos matriculados no Ensino Fundamental, apenas 53 o conclui. Esse quadro agrava-se em regiões mais pobres, o que é um reflexo da disparidade socioeconômica presente no país. Muitas das crianças que moram nessas áreas são privadas do acesso à educação e acabam sendo sujeitadas a trabalhos abusivos, na tentativa de ajudar a família.

Nesse contexto, é notório que para ter educação de qualidade no território brasileiro, normalmente, é necessário ingressar em instituições privadas. Segundo o coordenador-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, a desigualdade entre à educação pública e a privada está ligada à infraestrutura das escolas. Ele afirma que para haver uma maior eficiência são necessárias maiores redes de ensino, com estruturas adequadas, laboratórios e bibliotecas, além de professores com melhor formação. Além do investimento em infraestrutura e nos professores, é necessário que o Governo adote um currículo nacional comum para todas as redes, o qual deverá mostrar todos os assuntos que os alunos deverão aprender em cada etapa escolar.

Portanto, com o fito de proporcionar educação para todos, cabe aos governantes, juntamente a instituições de ensino, a criação de plataformas educacionais gratuitas, procurando oferecer aulas com os conteúdos contidos no currículo nacional. Elas deverão ocorrer presencialmente, visando às áreas carentes, e on-line, visando os locais de difícil acesso. Essas aulas deverão ser dinâmicas, de forma a incentivar a entrada e a permanência no âmbito escolar. Ademais, cabe ao Ministério da Educação adoção de um currículo nacional comum para todas as redes. Essa medida possibilitará um ensino mais igualitário, já que todas as instituições de ensino no território terão que proporcionar os mesmos conteúdos nas mesmas séries. Uma educação inclusiva representa a tomada de consciência do governo e da sociedade, demonstrando o conhecimento e o exercício assumidos pelo indivíduo com relação aos seus direitos e deveres enquanto ser social.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde