O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

O legado da escravidão e o preconceito contra negros no Brasil

A Constituição de 1988 garantiu o direito e igualdade perante a todos os indivíduos. No entanto,quando se observa a questão do negro em sociedade, nota-se que o preconceito associado ao legado da escravidão no Brasil, prejudica na democratização dos direitos humanos. Nesse sentido, é preciso entender suas causas para solucionar o problema.
Em primeiro lugar, é essencial ressaltar que deve-se a questões históricas e culturais. o livro "Casa-Grande e Senzala" retrata a formação do povo brasileiro, com suas diversas culturas e etnias em sociedade. Dessa maneira, o choque de cultura associado aos primeiros indícios da colonização Espanhola, evidencia o etnocentrismo como uma noção de superioridade e pureza de "raça". Cabe mencionar, também, que séculos após o período da abolição da escravidão a dificuldade de inserir o negro em sociedade culminou para todo o preconceito e inferioridade que ainda são repercutidas atualmente. Dessa forma, o legado da escravidão,representa, o retrocesso dos direitos e lutas sociais ao longo dos séculos.
Além disso, vale ressaltar que essa situação é corroborada por fatores políticos e sociais. Isso se deve ao fato de que, a partir da impunidade a atos que manifestem o preconceito, o seu combate é pouco desempenhado, já que a falta de representatividade ao negro possibilita essa situação. Tal conjuntura é ainda intensificada pela discriminação no mercado de trabalho, a qual muitas empresas não contratam ou seu número de funcionários negros é bem inferior ao índice esperado, uma vez que a superioridade do homem branco ainda se encontra presente. Bom exemplo disso foi a política de embranquecimento na urbanização brasileira, em que o europeu era mais "apto" para certos serviços.
Torna-se evidente, portanto, que o legado da escravidão apresenta entraves que necessitam ser revertidos. Logo, é necessário que o Governo Federal e o Ministério da Cultura desenvolva a participação e inclusão do negro em sociedade. Para isso, o governo em parceria da mídia poderia fazer pesquisas e criar aplicativos voltados para a questão do racismo, para que possa dar visibilidade ao problema, por meio da fiscalização e participação social. O Ministério da Cultura em prol das instituições de ensino e ONGs, podem fomentar o pensamento crítico por intermédio de projetos, trabalhos e debates sobre o legado da escravidão e suas implicações atualmente. Ademais, ainda com o governo mas em parceria do Ministério do Trabalho, precisa introduzir e fiscalizar os direitos ao negro no atual mercado, para que empresas possam respeitar não apenas a lei, mas também os direitos humanos.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!