O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

O histórico desafio de valorizar o professor

Funcionando conforme a primeira lei de Newton, a lei da inércia, a qual afirma que um corpo tende a permanecer em seu movimento até que uma força suficiente atue sobre ele, mudando de percurso, a questão da não valorização dos professores persiste na sociedade brasileira há algum tempo. Com isso, ao invés de funcionar como a força suficiente capaz de mudar o percurso desse problema, fatores familiares e sociais acabam por contribuir com a situação atual.
Não é de hoje que professores e profissionais da educação lutam por dias melhores, em que salário e reconhecimento estejam à altura do esforço que empregam para ensinar. Há duas décadas atrás a situação era diferente do que pode ser visto hoje, as crianças eram ensinadas em casa sobre a importância e o respeito que se devia prestar ao professor, que em casa quem mandava eram os pais e na sala de aula os pais eram os professores, ou tios, como era costume apelidar, que apesar do salário injusto, continuavam por amor. Porém, nos dias de hoje, é possível notar uma situação bem adversa, professores não são mais carinhosamente apelidados de 'tios', são agredidos, desrespeitados e por consequência do medo, abdicam da profissão, não sendo mais o amor a força suficiente para persistirem.
Dados da OCDE (Organização para a Cooperação Desenvolvimento Econômico) mostram que os salários dos professores brasileiros estão entres os piores do mundo, ficando à frente apenas da Indonésia, a sociedade, não distante, no entanto, calada, sendo a força capaz de mudar essa situação continua inerte quanto ao que presencia, não comprou a briga dos profissionais que são pilares de todas as profissões, se encaixando bem na expressão popular que diz que 'o pior cego é aquele que não quer enxergar', logo, a desvalorização moral e financeira do professor vem afetando até mesmo o ensino em sala de aula, a carreira não é mais cogitada entre os jovens, há falta de profissionais no mercado e as consequências são infindas.
Portanto, fica evidente a necessidade de uma tomada de medidas para mudar esse percurso, tomando como exemplo o estado do Maranhão que em fevereiro deste ano corrente, editou a medida provisória de 2015 e aumentou para 5.750,00 o salário do professor com carga horária de 40 horas semanais, a família e a sociedade precisam tomar a atitude de erguerem a voz juntamente com os professores em atos pacíficos de manifestação com o objetivo de pressionar os governadores estaduais a editarem as mesmas medidas provisórias e por conseguinte alcançar aumento da base salarial para 3,5 mil que é um valor, no mínimo, justo para a quantidade de tarefas que exercem. Só assim, família e sociedade atuarão juntas, funcionando como a força descrita por Newton e mudando o percurso dessa situação.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!