O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

O agronegócio como ameaça ao meio ambiente

 Na série brasileira ''Aruanas'', um grupo de amigas investiga uma quadrilha de criminosos ambientais na Amazônia. A dtrama denuncia o sucateamento da preservação ambiental em prol do desenvolvimento econômico. Fora das telas, essa conjuntura é uma preocupante realidade brasileira, uma vez que é possível inferir que práticas financeiras, como o agronegócio, são uma ameaça ao meio ambiente, seja em razão das atividades antrópicas ou devido à inoperância das estratégias estatais.                                                                                                                       


   Em uma primeira análise, é importante enfatizar que o agronegócio é uma atividade altamente rentável. Nesse contexto, o renomado filósofo Émille Durkheim, ao analisar o corpo social atual, aborda o conceito de solidariedade orgânica: a acentuada divisão de trabalho tem como consequência a prevalência dos interesses individuais em relação aos interesses coletivos, devido aos ideais capitalistas. Em outras palavras, analogamente, os interesses individuais para a obtenção de lucro e o acúmulo de riqueza subjugam o interesse global para a conservação ambiental, haja vista que essa lucrativa atividade é extremamente prejudicial ao meio ambiente. Para ilustrar, de acordo com uma pesquisa conduzida pelo Ministério do Meio Ambiente o agronegócio é a principal ameaça aos ecossistemas brasileiros.                                                                                           


   Ademais, não obstante às atitudes humanas, está o Estado com a sua ineficácia em combater a ameaça ao meio ambiente proveniente do agronegócio. Outrossim, é importante enfatizar que o artigo 225 da Constituição Federal de 1988 garante a preservação dos biomas brasileiros. Entretanto, devido à grave crise econômica que assola o país acoplada à pressão da bancada ruralista que se beneficia financeiramente com o agronegócio, a União enfrenta dificuldades em elaborar políticas públicas eficientes e sustentáveis que equilibrem o progresso econômico proveniente dessa prática e a conservação ambiental. Desse modo, diversas áreas são desmatadas em razão da exploração predatória, uma vez que de acordo com uma matéria exibida no periódico O Globo, o Cerrado, bioma extremamente biodiverso, já perdeu metade de sua área original devido ao agronegócio.                     


  Fica claro, portanto, que as atitudes humanas e a desconsideração estatal agravam essa problemática. Por isso, é imprescindível que o Ministério do Meio Ambiente, por meio de verbas governamentais, fiscalize constantemente as áreas de prática do agronegócio, por intermédio da designação de fiscais nos municípios brasileiros que irão fazer relatórios semanais do estado dos ecossistemas, bem como fiscalizar se as empresas desse segmento exercem as atividades de modo sustentável, no intuito de identificar os responsáveis pelos malefícios ambientais e puni-los com multas de alto valor. Assim, o drama da ameaça ao meio ambiente ficará apenas na ficção.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!