ENTRAR NA PLATAFORMA
O abuso de poder e de autoridade no Brasil

  No filme estadunidense “O diabo veste Prada”, é apresentada a relação entre uma famosa editora de revistas e sua assistente, em que é nítido o impacto psicológico sofrido pela personagem, ao ter que lidar com o abuso de poder exercido pela chefe. Dessa forma, o aproveitamento de cargos de grande relevância para menosprezar outrem constitui um dos principais problemas a serem enfrentados no Brasil, o que engloba diversas áreas políticas e sociais. Assim, é necessário analisar a importância da consciência de privilégios e a desigualdade social proliferada.


  Pelo pensamento do filósofo alemão Schopenhauer, “os limites do campo de visão de uma pessoa determinam seu entendimento sobre respeitar o mundo”. Nesse contexto, os princípios capitalistas, que submetem classes sociais mais favorecidas acima de outras, estabelecem ideais de superioridade, o que é refletido no autoritarismo expressado em ambientes de trabalho, de escola e até em cargos públicos. Portanto, a falta de um controle dos benefícios designados a certos papéis do mercado de trabalho contribui para a exclusão de identidades marginalizadas, além da alienação e da discriminação agravarem ainda mais essa problemática.


  Outrossim, o uso de posições de alto poder para prevalecer as vontades particulares é um grande ponto a ser ressaltado na questão abordada. Nesse sentido, principalmente no ramo da segurança pública, pode-se observar uma violência muito mais acentuada com indivíduos em situações de pobreza, o que denuncia o racismo institucionalizado na sociedade brasileira, bem como o abismo social que diverge as atribuições de direitos. Sendo assim, é notório que o desempenho estadual, no que diz respeito ao cumprimento de sua própria Constituição, é seletivo, em aspectos étnicos e financeiros, expondo uma camada suscetível ao tratamento brutal de autoridades públicas.


  Logo, é importante que o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos promova uma melhor efetividade da lei contra o abuso de poder, por meio da atuação do Congresso Nacional em propor a penalização de pessoas que utilizaram sua posição social como forma de inferiorizar, mediante também o apoio da comunidade em campanhas e em manifestações que visem ao fim da violência exacerbada de policiais com populações carentes, de forma a pressionar o governo, com o objetivo de garantir igualdade constitucional. Nesse âmbito, as noções de privilégios não excludentes contribuirão para o decaimento da desigualdade social e dos seus impactos.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde