O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

O abandono de idosos no Brasil

Na obra “A Velhice”, um livro publicado em 1970 pela filósofa existencialista francesa Simone de Beauvoir, a autora busca o entendimento da percepção dos idosos pela sociedade. Do tratamento que as sociedades primitivas davam aos idosos até conquistas e problemas existentes nas sociedades atuais. Atualmente, mesmo após avanços nos direitos desses cidadãos no Brasil, país que possui uma das legislações mais avançadas do mundo e muito do que nela se prevê não se concretiza, o abandono dos idosos revela a ineficiência do Estado associada à uma cultura de aceitação por parte dos nacionais, o que faz com que a cidadania não seja gozada por todos de maneira plena.


Em primeiro plano, a ineficiência do Estado em aplicar leis que garantam o acesso aos direitos Constitucionais do idoso restringe a cidadania dos indivíduos. Seja pela dificuldade em administrar recursos em um território de dimensões continentais, seja pela falta de interesse dos órgãos públicos em promover o Direito do Idoso, sobretudo, nas regiões afastadas dos centros administrativos, prejudicando uma parcela significativa da população, 7,4% ou 17 milhões de pessoas segundo o IBGE (2010). Outros dados oficiais do governo dão conta de que o número de brasileiros idosos de 65 anos e mais era de somente 1,6 milhões em 1950, passou para 9,2 milhões em 2020 e deve alcançar 61,5 milhões em 2100. O crescimento absoluto está estimado em 38,3 vezes. Entretanto, o Brasil possui mais de 200 milhões de habitantes, o que indica que a democratização da qualidade de vida e de direitos efetivados é um processo lento e até mesmo utópico.


Ademais, em uma segunda análise, a alienação social e a aceitação de que abandonar os idosos tem se tornado algo cada vez mais irrelevante, contribui para a persistência desta realidade despercebida. A filósofa alemã Hannah Arendt em “banalidade do Mal”, refletiu sobre o resultado do processo de massificação da sociedade, o qual forma os indivíduos incapazes de realizar julgamentos morais, tornando-os alienados e aceitando as situações sem questionar. O pensamento da filosofa está relacionado ao contexto de alienação da sociedade brasileira no qual os sujeitos sociais se calam diante das questões que prejudicam grupos menos favorecidos, desconsiderando a importância do direito do idoso, para o cumprimento de direitos sociais. Nesse contexto, é essencial superar esses paradigmas que prejudicam diversos indivíduos.


Portanto, pode-se inferir que o abandono do idoso no Brasil é um tema relevante e que carece de soluções. Sendo assim, cabe ao Governo Federal direcionar recursos para desenvolver projetos que informem a sociedade sobre a importância do idoso e da necessidade de cuidados diferenciados. Essa medida, a qual deverá ser reafirmada pelas famílias em casa, deve ser realizada por meio de debates nas escolas e na mídia, sendo oferecidos por profissionais que estudam dados estatísticos sobre o problema, garantindo o convencimento social. Com a realização dessa medida, a realidade exposta por De Beauvoir da marginalização e negligência sofrida pelos cidadãos idosos, será passível de mudanças de modo positivo para o país, progredindo para um futuro mais justo e humano.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!