O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Meios para o controle do lixo gerado no Brasil

O mundo está diante uma crise ambiental que atinge a todos. Os rios poluídos são uma ameaça ao estoque hídrico dos países, os plásticos estão se espalhando, sendo decompostos em tamanhos cada vez menores a ponto de se misturarem ao sal que se come, o lixo que se produz gera compostos tóxicos que podem contaminar os lençóis freáticos. No Brasil, a sociedade não escapa desse quadro. Aqui, a desigualdade na distribuição de renda agrava os problemas ambientais, mas a educação pode ser aliada para amenizar a situação. Dessa maneira, pode-se assumir que precisa-se investir mais no descarte adequado e em campanhas para mostrar à população como fazer sua parte nesse processo.


Primeiramente, um dos maiores problemas sociais no Brasil é a má distribuição de riquezas, ocasionando várias complicações, como a criação de lixões a céu aberto. Ilha das Flores, documentário brasileiro, acompanha essa realidade de perto, mostrando a vida de pessoas que trabalham nesse espaço, um ambiente onde o lixo é simplesmente jogado, sem cuidado algum. Nesse contexto, é pela falta de orçamento para investir que as prefeituras, ao invés de criarem aterros sanitários para o descarte adequado dos resíduos que a população produz, recorrem aos lixões. Prova disso, como divulgado no portal de notícias G1, é que são as cidades mais ricas as que melhor descartam o lixo que produzem, destinando a maior parte a aterros sanitários. Dessa forma, melhorando a distribuição de riquezas no Brasil, pode-se contribuir para combater o descarte inadequado de lixo.


Ainda, como disse Immanuel Kant "o homem não é nada além daquilo que a educação faz dele". Logo, para que a sociedade consiga controlar melhor como seu lixo é descartado, a população precisa aprender a destinar seus resíduos aos locais adequados de coleta, reciclar aquilo que pode e ter hábitos de consumo mais conscientes, que produzam menos lixo. Exemplo de como isso pode ser feito é ensinando como produzir composteiras caseiras, as quais cultivam bactérias e fungos responsáveis por degradar o lixo orgânico, deixando a terra mais rica em nutrientes e, também, as campanhas pela diminuição do uso de canudos plásticos, que podem ser trocados por de metal, já que esses não são descartáveis. Assim, a educação é parte fundamental de como conseguir controlar o lixo gerado no Brasil.


É evidente, portanto, que existe espaço para melhorias no controle do lixo no Brasil. Sob essa perspectiva, cabe ao Estado distribuir melhor as riquezas para que as prefeituras possam investir em aterros sanitários e reciclagem e, além disso, educar a população para que essa aprenda produzir menos resíduos que não possam ser reaproveitados. Isso pode ser feito por meio de ressarcimentos aos municípios, por parte do governo federal, do dinheiro investido para melhorar o manejo e descarte dos resíduos. Ademais, a educação da população pode ser feita recorrendo a campanhas educativas que informem sobre compostagem e consumo consciente. As campanhas devem ser veiculadas não só nas televisões, mas em todos os ambientes de consumo, com cartazes e folhetos, provocando no consumidor uma reflexão sobre o lixo que pode ser gerado por suas compras. Talvez, desse modo, teremos uma sociedade que degrada menos o ambiente que vive.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!