O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Meios para o controle do lixo gerado no Brasil

Séculos atrás, a produção de alimentos era algo que preocupava a toda a Europa. Nesse período, a teoria malthusiana dizia que, em dado momento, o aumento populacional ultrapassaria a produção de alimento, uma vez que esse crescia geometricamente ao passo que a produção crescia aritmeticamente. Hodiernamente, vivemos a situação inversa: a produção, não só de alimentos, superou tanto a população nacional que lidamos com um enorme contingente de lixo que, na maior parte das vezes, não recebe destino adequado, gerando problemas sociais e ambientais. Essa problemática persiste intrinsecamente ligada à realidade do país, seja por insuficiências governamentais, seja por problemas de caráter social.
É inquestionável a participação do Estado na questão. Segundo a Constituição Federal de 1988, é dever do Estado promover o desenvolvimento dos municípios de forma a respeitar o ambiente e os ecossistemas nele inseridos. Nesse sentindo, observa-se uma ruptura dos princípios constitucionais, uma vez que quase 30% do lixo produzido no Brasil é destinado a lixões a céu aberto, que liberam substâncias nocivas aos animais e às comunidades vizinhas. Ainda, apenas 4% do lixo orgânico, principal fonte de metano (um dos gases tóxicos), é utilizado na compostagem, fato que evidencia o descuidado do Governo que não promove efetivamente a política dos "3 Rs" no Brasil -- reduzir, reutilizar e reciclar.
Outrossim, a cultura de não repensar sobre a problemática que o lixo representa no Brasil configura-se como uma das grandes precursoras dessa continuidade. Um dos conceitos de Francis Bacon, que declara o comportamento humano como contagioso, aplica-se perfeitamente à situação: a produção excessiva de lixo e seu descarte na sociedade brasileira, que é feito de forma geralmente irresponsável, contribui para a propagação dessas ações à medida que não são valorizados os conceitos de sustentabilidade e responsabilidade -- os quais deveriam ser lecionados ainda na juventude, onde inicia-se as responsabilidades sociais. Esses fatores, seguindo a filosofia determinista, constituem um grande moto-perpétuo para a continuidade da problemática.
Tendo em vista os fatos supracitados, é preciso a mobilização de esforços, sobretudo nos conflitos de âmbito social, estrutural e municipal, a fim de combater o lixo gerado no Brasil. Assim sendo, cabe ao Ministério do Meio Ambiente promover a criação, a nível municipal, de locais de armazenamento de lixo, como aterros controlados e sanitários, através de emendas constitucionais e oferecer incentivos aos cidadãos à prática da compostagem e da política dos "3 Rs" mencionada, como aulas gratuitas em escolas e espaços públicos. Paralelamente, é imprescindível que o Ministério da Educação promova, através de palestras e apresentações lúdicas em escolas de todo o país, as ideias de responsabilidade e sustentabilidade relacionadas ao lixo, visando a encerrar a cultura desavisada a respeito do lixo presente no país. Assim, construir-se-á um país mais fiel à Constituição e ao desenvolvimento sustentável.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!