O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Medidas para combater a prática de bullying e de ciberbullying na sociedade brasileira

Isonomia enfraquecida

De acordo com a carta Magna brasileira de 1988, todos são iguais perante a lei. Entretanto, este país enfrenta uma onda de desigualdade social, externada por intermédio da prática do bullying e seus variantes, que juntos contribuem para mazelas sociais distintas. Logo, faz-se necessário medidas de combate à estas atrocidades.

O princípio da isonomia assegurado na constituição é posto à prova quando executado, tendo em vista que o mesmo não obtém um respaldo justo na comunidade, pois é notório que muitos cidadãos sofrem com o bullying e o cyberbullying desde cedo. A miscigenação dessa pátria configurou diferentes etnias e fenótipos, porém enraizou lacunas gigantescas no meio social, como ausência de respeito às diferenças. Dados apontam um aumento significativo de pessoas acometidas por diversas variantes do bullying o que nos leva a crer na existência de negligência familiar e estatal perante o assunto.

De acordo com o cientista social Frederick Skinner o comportamento humano é condicionado por suas ações e consequências. Nesse viés, a reprodução de atos tóxicos contra diferentes povos é aguçada no ambiente que o agressor vive, fazendo com que reproduza aquilo que ouve e enxerga. Apesar de grande parcela da comunidade sofrer agressões desse tipo, alguns executam esses atos sobre si mesmos, a fim de encontrarem uma aceitação em meio a sociedade desigual que se encontram. É comum que indivíduos inseguros quanto à sua identidade social involuntariamente façam uso de xingamentos contra eles, conferindo fragilidade emocional e necessidade de ajuda especializada.

Logo, diante do exposto é necessário ratificar o princípio de igualdade na sociedade brasileira, com o intuito de garantir a eficácia dele no cotidiano de diversos cidadãos. O Ministério da Educação, deve juntamente com os diversos setores midiáticos garantir a expansão da problemática em nível mundial, a fim de alertar sobre a existência do bullying e cyberbullying nas distintas nações. Além disso, é essencial que os dirigentes de escolas e redes sociais promovam campanhas sobre como identificar agressores, vítimas e como buscar ajuda para garantir assistência psicológica e social equitativamente. As famílias, competem o desafio de uma educação eficaz, de modo que seus parentes propaguem empatia e gentileza mundo afora. Assim haverá uma diminuição dos índices de bullying e os seus derivados na sociedade moderna.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!