ENTRAR NA PLATAFORMA
Manisfestações populares e segurança nacional: os limites para a preservação da integridade física e moral
Promulgada pela ONU em 1948, a Declaração Universal dos Direitos Humanos garante a todos os indivíduos o direito a segurança e ao bem-estar social. Contudo, manifestantes agressivos impossibilitam que certa parcela da população desfrute desse benefício universal na prática. Nessa perspectiva, desafios devem ser resolvidos de imediato para que uma sociedade integra seja alcançada.
Dever da família e do estado, a educação tem como finalidade o pleno desenvolvimento do indivíduo para o exercício da cidadania. Hodiernamente, constando a regalia na Constituição brasileira, seria racional acreditar que o País dispõe de um sistema público de ensino eficiente. Todavia, a realidade é justamente o oposto e o resultado desse contraste é refletido em manifestações populares com indivíduos deseducados. Segundo Immanuel Kant, "O Ser Humano é aquilo que a educação faz". Diante do exposto, é visível a falta de competência do sistema de ensino público em educar. É imprescindível, portanto, a necessidade de mudanças no sistema educacional brasileiro.
Faz-se importante, ainda, salientar a baderna como impulsionador do problema. De acordo com o sociólogo polonês, Zygmunt Bauman, a falta de solidez nas relações sociais, políticas e econômicas é a característica da "Modernidade liquida" vivida no século XXI. Diante de tal concepção, é visível a falta de solidez nas pessoas que utilizam dessa ocasião para obter momentaneamente, a "diversão" oriunda da bagunça e destruição.
Portanto, medidas são necessárias para resolver os entraves em busca de garantir a solidificação de políticas que visem à construção de um mundo melhor. Dessa maneira, o Ministério da Educação e Cultura (MEC) deve agir com o objetivo de orientar educadores sobre o uso atividades praticas e menos teóricas com o intuito de fixar o conteúdo (sobre ética, moral, sociedade, entre outros) nos estudantes. Sendo dever do estado a criação de métodos que visem a importância de manifestações passivas a fim de levar suas reivindicações para as autoridades sem atingir a integridade física e moral de pessoas alheias, através de campanhas de conscientização em conjunto ao apoio de líderes de tais movimentos. Dessa forma, o Brasil poderia caminhar passos largos a fim de garantir a segurança em manifestações no País.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde