O desconto do plano APROVADO EM 2021 termina em: dias horas minutos segundos

Mais médicos

A saúde pública tem por objetivo promover a melhoria do bem estar de todos os cidadãos. Todavia, não se vê atendimento adequado para grande parte da sociedade, o que acarreta na insatisfação da população. Com o intuito de solucionar tal problemática, o governo implantou um programa ineficiente. Entretanto, as causas da ineficácia desse sistema estão relacionadas à má distribuição de médicos pelo país e devido a infraestrutura precária dos hospitais.
Observa-se que o fator financeiro é primordial na construção da desigualdade, no que tange, também, a saúde dos brasileiros. Esse fato é nítido no país, visto que nas regiões menos favorecidas economicamente, há menor investimento em diversas áreas, como na qualidade de vida. Exemplo disso é a discrepância de médicos no país, que, enquanto na região sudeste tem 2,61 médicos por mil habitantes, no norte há 0,98, segundo o IBGE. Essas diferenças acometem as populações mais carentes, que sofrem com a falta de atendimento, o que leva a um maior índice de enfermidades.
Ademais, a deplorável infraestrutura dos hospitais pelo país são fatores do péssimo sistema de saúde. Com a falta de instrumentos adequados, ocorre a seletividade dos profissionais da área, nos quais visam locais mais estruturalizados, ocasionando uma defasagem no atendimento aos pacientes. Isso ocorre em decorrência do baixo investimento na área, que, no Brasil, é redirecionado 4,7% do PIB, e em países referência na área, há investimento de 7,6% a 9,0% do PIB, como Reino Unido e Suíça. Em razão disso, o governo toma medidas que tem o objetivo de contemplar esse sistema com médicos estrangeiros, o que é ineficaz para a solução do problema.
Portanto, para solucionar a problemática do sistema de saúde, é preciso ir além do programa "Mais Médicos". Com isso, torna-se imprescindível o governo federal promover incentivos para as áreas mais pobres, como altos salários, com a finalidade de atrair profissionais da saúde nessas regiões. Além disso, é fundamental viabilizar um redirecionamento maior na porcentagem do PIB, destinando-o à saúde, a fim de investir na infraestrutura dos hospitais e equipamentos adequados, assim, suprirá a ausência de médicos, já que haverá instrumento de trabalho, atraindo-os para regiões mais carentes.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!