O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Justiceiros

A revolução francesa marca a história do mundo enquanto movimento social, em função da implementação de novas ideias que concebem o Estado. O Brasil, assim como a maioria das repúblicas fundadas posteriormente ao movimento, foi diretamente influenciada pelos ideais franceses, e portanto, é uma república democrática. Dentro da democracia, nos moldes franceses, há a instauração dos Direitos do Homem e dos Cidadãos, em que todos devem ser tratados de maneira igualitária e digna, através da lei. Entretanto, em divergência com estes ideais, o Brasil vive uma suspensão temporária destes direitos em determinadas camadas sociais, com grande repercussão nos momentos de linchamento social, na ação dos midiaticamente chamados de "justiceiros".
Estes linchamentos são reflexo da marginalização das classes sociais mais abastadas. Uma vez que os crimes cometidos com a possibilidade de linchamentos pela sociedade são pequenos furtos, pessoas que individualmente cometem crimes de forma não organizada, crimes estes que são rechaçados em exclusividade, na classe social mais baixa. De acordo com a Universidade de São Paulo, 98% da população carcerária brasileira são de classes mais abastadas, o que reflete a estratificação social e a maneira repressiva e seletiva que a justiça brasileira age. Mas, pela dificuldade na recuperação de criminosos e da chegada do policiamento em lugares de risco, a justiça se mostra frágil, o que amplifica o sentimento de revolta da população ao perceber a impunidade e normaliza atos violentos à margem da lei, tanto que não há tipificação para este tipo de violência. Porém, como é idealizado na Revolução Francesa e que muda a história da humanidade, não há democracia sem direitos humanos.
Por isto, deve ser realizada uma ação conjunta entre órgãos dos direitos humanos e de segurança pública (Ministérios e secretárias) para a implementação de um Plano de Ação de Direitos Humanos que, de fato, atinja a população. Seja pela promoção de programas educacionais contra linchamentos, pelo aumento de varas civis que aproximará os cidadãos da justiça ou pela criação de punições àqueles que cometem este tipo de violência. Desta maneira, todos poderão ser julgados pela mesma lei, e não pelo linchamento social, o que aprofundará os laços democráticos brasileiros.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!