ENTRAR NA PLATAFORMA
Impactos do Agronegócio na saúde

No decorrer das revoluções industriais, Thomas Malthus, economista britânico, enunciou que a população com evolutiva melhora nas condições sanitárias cresce e o alimento fica escasso. Sob esse viés, o agronegócio ascende para atender à demanda populacional e enfrenta uma dicotomia entre lucro e saúde, em que o primeiro prevalece sempre. Evidentemente, então, a problemática do impacto dos agronegócios no país apoia-se em dois pilares: o uso excessivo de agrotóxicos e a opressão latifundiária sobre pequenos agricultores.


Primeiramente, o documentário "A Carné é Fraca", produzido por ativistas da causa vegana, mostra, além da crueldade contra animais, o uso indiscriminado de agrotóxicos na agricultura. Com isso, a ingestão de alimentos que deveriam promover a saúde torna-se um problema de ordem pública, uma vez que o Ministério da Saúde já registra mais de quinze mil casos de intoxicação alimentar por pesticidas e herbicidas. Desse modo, a utilização exacerbada de agrotóxicos impacta negativamente na saúde humana, já que contamina diretamente a fisiologia do homem e causa o desequilíbrio ecológico do meio onde ele vive.


Ademais, a ambição por lucros dos grandes latifundiários ocasiona em uma barreira opressora e intransponível aos pequenos agricultores. Longitudinalmente, a agricultura saudável e familiar perde atuação, porque os latifúndios ocupam maiores extensões territoriais e fornecem insumos em massa para fabricantes de alimentos industrializados e ultraprocessados. Logo, a agricultura orgânica vai se extinguindo gradualmente, pois latifundiários, por produzirem em massa e com auxílio da transgenia e de compostos nocivos, vendem matéria-prima massivamente e a "preço de banana", acabando por desencadear a quebra econômica da prática agrícola promotora de qualidade de vida.


É notório, portanto, que os impactos do agronegócio na saúde do ser humano são prejudiciais e ocasionadores de doenças como câncer e distúrbios hormonais, segundo a Organização Mundial de Saúde. Posto isso, cabe ao Ministério da Agricultura, com percentual da Receita, oferecer bolsas como incentivo financeiro para pequenos produtores rurais, para que os mesmos possam oferecer recursos saudáveis por um preço acessível ao povo. Assim, à mesa dos lares brasileiros será servida comida de qualidade e não uma patologia empacotada e disfarçada de comida.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde