O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Humanos e animais

Os cães desde cedo foram domesticados pelo homem, é o que mostra estudos arqueológicos a partir do achado em Israel; um esqueleto humano enterrado abraçado ao de um cachorro, os fósseis possuem 12 mil anos. Desse modo, percebe-se que o carinho do homem pelo seu animal de estimação não é novidade. Contudo, o ser humano deve tomar bastante cuidado com os excessos, lembrando-se sempre que cães, gatos, entre outros são animais e por isso devem ser tratados como tal.
A afirmação acima parece óbvia, mas atualmente tornou-se um problema, as pessoas cada vez mais tratam animais como filhos, chegam a impor hábitos e costumes humanos aos bichinhos; alguns compram roupas, calçados, acessórios, brinquedos e em casos mais graves levam seus pets para passear em carrinhos de bebê. Outro ponto importante é o cuidado com a saúde e higiene do bicho de estimação que é extremamente importante para um convívio saudável com as pessoas ao seu redor, nesse caso, empresas - tendo em vista o potencial de consumo, investem altos valores no desenvolvimento de remédios para tratar doenças crônicas - antes vistas somente em seres humanos, mas que hoje, com a "humanização", vieram acarretar problemas de saúde também nos animais domésticos, como por exemplo, estresse, ansiedade e depressão.
Todavia, muitos problemas dificultam a resolução do impasse. O homem parece depender ainda mais do animal do que o inverso. Algumas pessoas relatam que o amor puro e sincero que recebem do animal não é encontrado em muitas pessoas, dessa forma, são destinados a eles todo amor e confiança. No entanto, esses sentimentos em excesso podem ser prejudiciais para ambos por conta da dependência mútua de que possuem.
Com tanto afeto e mimos dedicados aos bichos, surge a discussão nos meios de comunicação de massa sobre adoção; "Ao invés de cuidar e amar bichos adotassem crianças carentes", é o que dizem muitos. Uma coisa em nada se confunde com a outra; a maioria das pessoas que tem animais domésticos não possuem desejo, tempo e abdicação necessários para cuidar de um filho. Portanto, é melhor cuidar de um animal com amor do que criar uma criança por meio de maus tratos.
Ademais, medidas são necessárias para resolver a questão. Em primeiro lugar, é necessário a conscientização por meio de ONG's, da Sociedade Brasileira de Proteção aos Animais e da sociedade em geral para promover nas mídias sociais uma campanha para combater os exageros e "deixar o animal viver como animal", livre e de acordo com a sua espécie dentro do seu conforto; no caso dos cães, precisam passear, correr, se sujar, brincar com outros cães e assim, poder evitar transtornos posteriores para ele e para seu dono. Em segundo lugar, deve haver o bom senso por parte das pessoas para que a amizade e o convívio com os pets seja prazerosa para ambos.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!