O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Homossexualidade e preconceito no Brasil

No dramático filme "Orações para Bobby" o protagonista Bobby, enfrenta os obstáculos impostos pelos parentes, após revelar sua sexualidade, a família não aceita e impõe sobre o filho rotinas rigorosas com tarefas recomendadas por um padre da igreja local, para que este pudesse alcançar a "cura" para a suposta "doença", fracassando na tentativa, o mesmo decide por fim a própria vida após a rejeição famliar e a intolerância social. fora da ficção a rotina árdua dos homossexuais no Brasil tange às condições relatadas no filme. O preconceito estrutural na sociedade e o silêncio da educação brasileira diante da questão favorecem ao cenário atual, todavia, aumentando o retrocesso diante da pauta no nosso país.
É indubitável que em toda a história, a comunidade gay tenha sido vítima de preconceito, durante a segunda grande guerra, o ditador Adolf Hitler, decretou perseguição a estes, agrupando-os com outros grupos e os matando brutalmente. A sociedade contemporânea Ignora a existência desse grupo, trarando-o de maneira desprezível e os excluindo socialmente, dificultando a rotina dessas pessoas que são constantemente humilhadas, seja no trabalho, na escola e até mesmo dentro do lar. Dessa maneira, condenando tais indivíduos a viverem marginalizados.
Vale salientar, que o ambiente escolar, local de aprendizagem e auto crescimento acaba tornando o pesadelo para algumas crianças, que não se comportam nos padrões héteronormativos. Na maioria dos meios educacionais não há atividades voltadas contra o bullying escolar ou que auxiliem a inclusão dessas pessoas, ocasionando na maioria dos casos, suicídios em massa. A ativista do direito das minorias - Marielle Franco, defende um estado, no qual a sexualidade do outro, não seja motivo de desprezo e discriminação, onde o respeito e ações humanitárias sejam a solução para uma sociedade que respeite os direitos humanos.
Em síntese, medidas devem ser tomadas de imediato, afim de salvar a vida dessas pessoas que sofrem diariamente com essa injúria. Desse modo as escolas devem propôr medidas no combate ao preconceito e a intolerância, seja solicitando suporte de especialistas em educação sexual e combate a discriminação, para que estes possam orientar professores e alunos a serem mais tolerantes, através de palestras ou eventos que conscientizem e eduquem de forma contextualizada e interdisciplinar, afim de transformar essas pessoas indivíduos mais flexíveis e respeitosas perante a diversidade, dessa forma, tornando-se possível a desconstrução dos pilares que corrompem nossa sociedade e evitando que mais "Bobbys" comentam suicídio.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!