O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Gordofobia e o culto ao corpo padrão

   Os sete pecados capitais tratam-se de uma classificação de condições humanas conhecidas como vícios, precedentes ao cristianismo, mas utilizadas pela Igreja Católica a fim de favorecer o cumprimento dos Dez Mandamentos. Um desses pecados é a gula, que se tornou justificativa para a gordofobia, além de favorecer a busca pelo corpo perfeito. Esse cenário nefasto ocorre não só em razão do poder das mídias sociais no estilo de vida, mas também devido à dificuldade de autoaceitação. Logo, faz-se imperiosa a análise dessa conjuntura, com o intuito de mitigar os entraves dessa problemática.


   É relevante abordar, primeiramente, que a influência ocasionada pelas redes sociais no modo de vida é um dos principais fatores que contribuem para a estratificação dos corpos padrões. Na canção “Pretty Hurts”, da cantora norte-americana Beyoncé, esta temática é exemplificada nos versos “A perfeição é a doença da nação” e “Você está feliz consigo?”. Nessa perspectiva, é inadmissível que o discurso introduzido pelos criadores de conteúdo digital seja sob a ótica mais aceita pela sociedade, ilustrando a falta de representatividade no mundo tecnológico, afetando a saúde mental das pessoas.


   Ademais, vale ressaltar que, desmistificar o estereótipo do corpo estar relacionado à doenças é a maior dificuldade de autoaceitação de pessoas gordas. A série “Insatiable” da Netflix, retrata a história da personagem Patty, que sofria bullying quando criança por ser gorda, mas na adolescência resolve mudar radicalmente seu corpo, entrando nos padrões de beleza da sociedade. Nesse viés, é inaceitável que ser um indivíduo saudável ainda seja uma justificativa para a gordofobia, pois essa perspectiva fundamenta o discurso de que pessoas obesas certamente possuem problemas de saúde.


   Portanto, tendo em vista o que foi discutido, faz-se necessário que as mídias sociais promovam discussões e debates sobre gordofobia e o culto ao corpo padrão nas plataformas, mobilizando criadores de conteúdo digital que exercem influência sobre o tema, além de propiciar um sistema igualitário em áreas como atuação, publicidade, moda etc, com o propósito de proporcionar representatividade a todos os públicos-alvo. Somente dessa maneira, a sociedade conseguirá vencer os obstáculos enraizados desde o período medieval.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!