ENTRAR NA PLATAFORMA
Formas de combater as doenças sexualmente transmissíveis no Brasil
A persistência do surto de doenças sexualmente transmissíveis na sociedade brasileira é um problema muito presente. Isso deve ser enfrentado uma vez que, diariamente, a população é vítima desta questão. Neste sentido, dois aspectos fazem-se relevantes: a insuficiência de leis e a lenta mudança de percurso do problema pela sociedade.
Em primeira análise, é valido ressaltar o crescimento epidêmico. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a cada ano no Brasil, cerca de 5700000 de pessoas contraem DSTs e por consequência o principal fator que direciona o problema: a abolição do medo. Dessa forma, encontra-se na teoria de luta de classes do sociólogo Karl Marx, na qual predomina uma hierarquia social. Sendo assim, a percepção do sociólogo hodiernamente reforça a persistência do problema, já que a burguesia por não está no quadro de extermínio do medo, não há uma grande ascensão em sua classe social. Sendo predominante assim nos proletariados.
Ademais, por serem locais onde a prática ocorre, o meio social deveria está apto para propiciar na solução do problema, no entanto, não está. Nesse sentido, as consequências dessa eclosão epidêmica é fortemente sentida pela população. De tal forma que o elevado índice de mortes , aterroriza a nação. Conforme a Organização Mundial de Saúde, 825 mil pessoas contraem o HIV, não sofrendo assim nenhuma intervenção governamental eficientemente na prática. Desse modo, fica nítido tamanho despreparo estrutural e torna-se claro a emergência de mudanças de percurso das DSTs.
Infere-se, portanto, que as doenças sexualmente transmissíveis é um mal para a sociedade brasileira. Sendo assim, cabe a Organização Mundial de Saúde, juntamente com o Governo Federal, construir centros de reabilitação para cada tipo de doença contraída, a fim de atenuar a sua percussão, além de aumentar o tempo previsto de reabilitação para quem rejeitar o tratamento. Ainda, cabe à escola, criar palestras sobre a estrutura das doenças e seus problemas, visando informar crianças e jovens sobre as diferentes formas de pensamento de determinada classe social no quotidiano. Outrossim, a sociedade deve se mobilizar em redes sociais, no intuito de protestar, assim como no movimento primavera árabe. Contudo, poder-se-á transformar o Brasil em um país desenvolvido socialmente.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde