O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Formas de combater as doenças sexualmente transmissíveis no Brasil

Para o filósofo Francis Bacon, saber é poder. Entretanto, apesar das doenças sexualmente transmissíveis (DST) ser um tema conhecido na sociedade brasileira, o que se nota, principalmente por partes dos jovens, é a falta de informação e de consciência que eles possuem em relação à problemática. Ademais, o preconceito imposto àqueles que possuem alguma DST, faz com que aumente as dificuldades de amenizar o problema.

Segundo o escritor Eduardo Galeano, o primeiro passo para modificar uma realidade, consiste em conhecê-la. Todavia, podemos afirmar que há falta de detalhamento sobre as DSTs para com as pessoas, uma vez que a faixa etária entre 14 a 25 anos não está sensibilizada com as referidas doenças, sendo que apenas 56,6% dessa parcela da população fazem o uso de preservativos em suas eventuais relações sexuais. Desse modo, devido a ignorância pelo assunto, o indivíduo poderá obter uma enfermidade que o acompanhará pelo resto de sua vida.

Ademais, o filósofo Nietzche afirma que o homem é, primeiramente, um animal que julga. Nesse sentido, devido ao preconceito que a sociedade emprega aos portadores de Aids, por exemplo, como a novela Malhação de 2015 abortou, faz o sujeito ocultar a doença para não ser oprimido pelos demais, além de não querer perder suas relações íntimas. Reflexo disso, se este não procurar acompanhamento médico, pessoas que se relacionar com esse indivíduo poderá também contrair a doença, e o portador elevar seu risco de morte.

Fica evidente, portanto, os desafios que a sociedade brasileira encontra para acabar com o problema das doenças sexualmente transmissíveis. Seria conveniente que o Ministério da Saúde, juntamente com o Ministério da Educação, elaborassem um conteúdo esclarecedor e eficaz sobre a problemática, e torná-lo obrigatório na grade curricular das ciências biológicas nas escolas do Brasil, além de recorrer à mídia, para que os adolescentes cresçam cientes e mais cuidadosos sobre esse assunto. Se assim for feito, será possível observar a redução dos casos e preconceito sobre as DSTs em nosso país.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!