ENTRAR NA PLATAFORMA
Falsidade ideológica no Brasil

    Forjar documento de matrícula estudantil para fazer uma carteira de estudante. Mentir sobre o condutor de  veículo para não perder pontos na carteira de motorista. Criar um perfil falso usando a imagem de outra pessoa. Estas três práticas são muito comuns no Brasil mas, apesar de serem consideradas banais pelo senso comum brasileiro, configuram-se como crime de falsidade ideológica  e sua ocorrência sistemática, somada à banalização, ferem o bem-estar social coletivo e a ordem pública.


    Primeiramente, destaca-se que muitos destes crimes são cometidos visando apenas o benefício próprio, rompendo, desse modo, normas sociais a despeito das consequências para o bem coletivo. Por exemplo, todo ano há casos de estudantes que são punidos por falsificar documentos para burlar o sistema de cotas nas universidades públicas, prejudicando aqueles que, de fato, tem direito às vagas. Além disso, como já citado, existem pessoas que criam contas ilegítimas usando fotos de outros indivíduos, muitas vezes interagindo com terceiros e compartilhando conteúdos de uma forma enganosa e perniciosa, tanto para a vítima que teve a imagem usada como aqueles que conversaram com esse “fake”. 


     Em segundo lugar, sabe-se também que, devido a banalização e a ocorrência desmedida, tais atos prejudicam gravemente a ordem pública. Isso porque, torna-se difícil a fiscalização e punição de todos os crimes, uma vez que ocorrem em grande quantidade e muitas vezes passam despercebidos pelas autoridades. Exemplo desta situação é o que acontece com a falsificação de carteiras de estudante, que na maioria das vezes não é possível checar sua procedência - como em cinemas e casas de shows, que são lotados - deixando o crime passar impune.  


    É evidente, portanto, que crimes de falsidade ideológica são prejudiciais à sociedade e devem ser combatidos. Para isso, faz-se necessário um reforço na fiscalização de documentos, por meio de treinamento dos funcionários das instituições e dos estabelecimentos, promovido pela Polícia Federal, visando punir e chamar as autoridades quando for percebida a infração. Somado a isso, o Ministério da Educação deve promover campanhas conscientizadoras - via rádio, internet e televisão - buscando reeducar o senso comum e, com isso, reduzir o número de atos cometidos.   

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde