ENTRAR NA PLATAFORMA
Excesso de trabalho e saúde mental

Durante o período denominado de Revolução Industrial, as pessoas trabalhavam com cargas horárias intensas e, consequentemente, desenvolviam diversos problemas. Hodiernamente, a CLT definiu a jornada máxima de trabalho da população, com a finalidade de evitar que houvessem consequências para o corpo humano, entretanto os efeitos na saúde mental prevaleceram; isso pode ser analisado tanto pelo excesso de trabalho, quanto pelas exigências feitas pelas empresas. Logo, não resta dúvidas que o trabalho possui influência direta com a saúde do indivíduo.


Em primeiro lugar, as atividades inacabadas das empresas fazem com que seja necessária mais horas de trabalho, tal problemática sugere que os indivíduos realizem sua atividade laboral no seu momento de lazer ou de folga. Em consequência disso, os colaboradores das empresas estão pedindo afastamentos do ambiente de trabalho, pois doenças, como a síndrome de "burnout", ou seja, um distúrbio psíquico de caráter depressivo, estão afetando cada vez mais os indivíduos. Segundo a estimativa da International Stress Management Association no Brasil (Isma-BR), 30% dos mais de 100 milhões de trabalhadores brasileiros sofrem com tal doença. Portanto, observa-se que uma fatia considerável da sociedade está acomeditida com o novo problema psicológico.


Em segunda análise, para o filósofo Michel Foucault, a loucura é definida pela sociedade de acordo com o seu tempo. Tal pensamento parece fazer alusão ao processo de qualificação estipulado pelas empresas, na qual o indivíduo deve está sempre se especializando para se manter no mercado de trabalho, uma vez que as tecnologias estão sempre se atualizando. À vista disso, em busca de uma qualificação, o proletariado passa a sofrer uma maior pressão psicológica já que as horas do seu dia estão sendo preenchidas, apenas, em prol do seu trabalho. Isso faz inferir que tal pressão tende a aumentar as possibilidades de se desenvolver a síndrome de "burnout". 


Destarte, é mister que o Estado tome providências para superar o quadro atual. Para que o trabalho deixe de ser uma das causas de doenças psicológicas, urge que as empresas devem, por meio de investimentos, contratar novos trabalhadores para finalizarem as atividades inacabadas, com o fito de diminuir a pressão sobre os seus funcionários e evitar o desenvolvimento da síndrome de "burnout". Outra medida eficaz é o indivíduo buscar, por meio de pesquisas, especializações que se encaixem na sua carga horária, no intuito de adequar o seu processo de aperfeiçoamento com o seu trabalho. Só assim a sociedade irá evitar o surgimento de doenças relacionadas ao trabalho.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde