ENTRAR NA PLATAFORMA
Excesso de trabalho e saúde mental

A Revolução Industrial ocorrida na Inglaterra em meados do século XIX, foi um acontecimentos históricos mais importantes do período e a sua repercussão gerou profundas mudanças na sociedade inglesa e fora dela. Nesse sentido, é necessário ressaltar os grandes avanços técnicos incrementados nas fábricas, a julgar pela substituição da manufatura pela maquinofatura, além da racionalização do tempo a partir da utilização do relógio, tornando os trabalhadores ainda mais submissos aos seus patrões. Paralelamente, a sociedade contemporânea apresenta traços marcantes quando o assunto é excesso de trabalho e saúde mental, seja pelo grande aumento dos problemas psicológicos, seja pela robotização do homem.


Seguindo esse raciocínio, o primeiro ponto a ser analisado é o aumento dos problemas psicológicos, pois a ansiedade e a depressão tornaram-se cada vez mais comuns na vida do trabalhador moderno. Logo, é preciso ressaltar que tal fenômeno está inteiramente ligado à carga horária exaustiva cumprida por determinados indivíduos, porque muitas vezes há uma flexibilização do ambiente de trabalho, e as tarefas realizadas no escritório da empresa, na sala de reuniões ou afins, passam a ser realizadas no ambiente doméstico com o simples uso de um computador ou notebook. Partindo desse ponto de vista, evidencia-se os resultados negativos desses fatores: baixo rendimento no trabalho, ansiedade, depressão, isolamento social ou até mesmo o suicídio, características muito comuns à chamada "Síndrome de Burnout" reconhecida pelo esgotamento profissional, e uma das mais comuns na atualidade, segundo a OrganizaçãoMundial da Saúde.


Além disso, é passível de discussão a questão da robotização do homem, levando em consideração as relações trabalhistas e a cobrança excessiva da classe trabalhadora. Segundo o filósofo Sérgio Buarque de Holanda, para compreender o presente é necessário voltar ao passado, e fazendo uma analogia a essa afirmação, a Revolução Industrial tem a sua parcela de culpa, pois o capitalismo vigente desconsidera fatores de limitação biológica em prol da alta produtividade, visando somente o lucro. Desse modo, o homem passa a ser visto como uma máquina e vende apenas a sua força de trabalho, num esforço repetitivo e diário. Neste caso, há consequências catastróficas para os indivíduos: estresse, desânimo, mal-estar, podendo levar ao afastamento do cargo, como mostrado no filme "Tempos Modernos", quando a personagem Carlito é afastado do emprego devido aos problemas de saúde causados pelo trabalho.


Dado o expostos, medidas devem ser tomadas para resolver o impasse. Por isso, o poder Legislativo junto ao Ministério do Trabalho, deverá elaborar novas diretrizes que exijam a inclusão de planos de assistência psicológica e psiquiátrica gratuito oferecidos pelas empresas a todos os funcionários desde o momento do contrato, a fim de identificar e tratar possíveis problemas que possam comprometer a saúde mental dos empregados e atrapalhar a sua vida pessoal e profissional. Ademais, a sociedade civil poderá se manifestar por meio de passeatas e das redes sociais, com o intuito de pressionar o Governo para a criação de projetos sociais de esporte e lazer oferecidos gratuitamente à sociedade, para que dessa forma mais pessoas possam estar bem fisica e emocionalmente e possam desempenhar suas atividades com disposição e vigor fora do ambiente de trabalho ou dentro dele. Enfim, o Brasil se tornaria uma referência mundial ao contornar tal problema, atingindo o pleno progresso e distanciando-se dos malefícios sociais que restaram da Revolução Industrial.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde