O desconto do plano APROVADO EM 2021 termina em: dias horas minutos segundos

ENEM 2019 : Democratização do acesso ao cinema no Brasil

                             A democratização do cinema no Brasil              


 O processo de urbanização que o Brasil sofreu ao longo do tempo, aconteceu de maneira rápida e concentrada, pois a população rural, em busca de novos postos de trabalho, migrou do campo para as cidades modo intenso, resultando em centros urbanos altamente povoados e com uma disparidade econômica imensa entre os cidadãos. Desse modo, as regiões mais afastadas desses centros ficaram excluídas do acesso a diversos elementos sociais e culturais, dentre eles, o cinema, que deveria ser ocupado por todos, independentemente da classe social ou renda do indivíduo. 


 Os cinemas se localizam nos grandes centros urbanos, estratégicamente, porque é onde está o capital e o mercado consumidor, visando sempre o lucro que poderá ser obtido. Assim, esses espaços tornam-se exclusivos, ao passo que excluem as pessoas que não podem pagar pelo serviço prestado, e, além disso, a distância entre o cinema e o usuário pobre é outro fator que condiciona à exclusão dessa população.


 Ademais, a dificuldade de acesso ao cinema enfrentada pela população mais pobre, reflete muitos problemas sociais brasileiros, como o preço alto do transporte público, a distância do centro para as periferias, a renda baixa desses grupos, entre outros. Por isso, os mais pobres são excluídos do acesso ao cinema, justamente por não terem mais poder aquisitivo, por residirem longe desses espaços, por possuirem mais membros na família e, por conseguinte, o preço da tárifa do ônibus e o valor do ingresso se tornam muito maiores. Ou seja, uma série de questões econômicas e sociais que dificultam a população mais pobre a ocupar esse espaço cultural. 


 Por fim, é papel do Estado garantir o acesso ao cinema a todas as pessoas, vide que este espaço contribui para a formação cultural e social do indivíduo, com o intuito de diminuir a exclusão social das pessoas mais carentes. Assim, o Estado deve construir unidades cinematográficas de acesso gratuito que serão localizadas, principalmente, nas periferias e cidades do interior, ou seja, nas regiões que carecem desse serviço. Dessa forma, o Estado garante a democratização do cinema, permitindo que todos tenham acesso à cultura . 

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!