use o cupom aprovado21 e ganhe + 21% de desconto extra 21% OFF

ENEM 2019 : Democratização do acesso ao cinema no Brasil

A Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada pela ONU em 1948, determina o acesso de todos ao lazer e ao bem-estar social. Entretanto, cerca de 70 anos após a publicação desse documento, o Brasil não possui políticas capazes de garantir que toda a população frequente eventos culturais, como o cinema, resultando na concentração do acesso desse serviço nas classes mais altas da sociedade, situação que é agravada devida aos altos preços cobrados pelas sessões dos filmes. Por isso, deve-se analisar o papel do governo e da sociedade na resolução desse problema.


Diante desse cenário, é importante destacar a falta de comprometimento estatal na área da cultura, especificamente na cinematográfica, fato que se comprova na recente destituição da Ancine (órgão governamental responsável por patrocinar produções nacionais). Além disso, a falta de apoio das prefeituras gera a concentração das salas de cinema nos centros das grandes cidades, dificultando o acesso dos moradores de periferias. Tudo isso contribui para a exclusão dos mais pobres nessa forma de lazer tão pouco explorada pelo país - apenas 17% de toda a população vai frequentemente ao cinema, de acordo com o site ”Meio e Mensagem”.


Vale ressaltar, também, a questão financeira como principal empecílio da democratização do acesso ao cinema no Brasil: de acordo com a “Folha de S. Paulo”, a média de salários do brasileiro é de dois salários mínimos. Esse dinheiro, muitas vezes, é suficiente apenas para bancar as necessidades básicas das famílias, impossibilitando que os indivíduos frequentem eventos de lazer. Tal situação brasileira é também retratada em contextos de outros países, como na série “Todo Mundo Odeia o Chris”, em que o protagonista quer ir ao cinema mas não pode devido à condição financeira dos pais.


Dito isso, é evidente que a localização dos cinemas e o preço dos ingressos são os principais fatores que resultam na exclusão dos mais pobres a esse serviço. Por isso, é dever do Ministério da Cidadania fornecer incentivos fiscais para a instalação de cinemas nas cidades, por meio da ajuda financeira das prefeituras locais, favorecendo mais os que se posicionarem próximos às periferias e facilitando, assim, o acesso da população mais pobre. Além disso, é dever do Ministério da Família fornecer “vales-cultura” para os contemplados com o Bolsa Família, esses vales devem proporcionar descontos ou mesmo entradas grátis em eventos culturais e de lazer, como o cinema.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!