use o cupom aprovado21 e ganhe + 21% de desconto extra 21% OFF

ENEM 2019 : Democratização do acesso ao cinema no Brasil

Realidade Distante



     A Constituição Federal de 1988 – norma de maior hierarquia no sistema jurídico brasileiro – assegura a todos o acesso à cultura. Todavia, os brasileiros ainda não experimentam tal direito em sua totalidade, uma vez que o acesso ao cinema não é democrático não só pela carência de investimentos, como também, pela concentração de renda no país. Nesse viés, analisar as circunstâncias que permeiam tal impasse é fundamental, posto que há, claramente, um descompasso entre teoria e prática.
     Em primeiro plano é pertinente elencar a negligência governamental como principal potencializadora do problema. Isso porque, apesar de a Constituição Brasileira estabelecer como incumbência do Poder Público a disponibilização de receita para a democratização de bens culturais, a falta de recursos bem como de infraestrutura, impossibilita o contato de grande parte da população com o cinema. A esse respeito, segundo o Ministério da Cultura, a maioria das salas de cinema do país está concentrada na região sudeste, o que reforça a desigualdade cultural no Brasil. Assim, é evidente que enquanto a distribuição assimétrica das salas de cinema se mantiver, seu acesso não será democrático.
     Ademais, é importante pontuar a concentração de renda como um fator crucial nessa adversidade. No Brasil, infelizmente, o preço médio dos ingressos de cinema é incompatível com a renda da maioria da população. Tal fato é um problema grave ao considerar o alto potencial transformador dos filmes e documentários, os quais representam para o corpo social um verdadeiro convite à reflexão, além de proporcionarem momentos de lazer e descontração. A exemplo disso, o filme “Coringa”, de 2019, impulsionou debates profundos sobre temas importantes na contemporaneidade – saúde mental, bulliyng, violência, porte de armas.
     Impende, pois, a necessidade de democratizar o acesso ao cinema do Brasil. Para tanto, é fundamental que o Governo Federal promova a construção de cinemas em todos os municípios do país por meio de disponibilização de verbas e amortização de impostos para as prefeituras durante o projeto, com vistas a tornar seu acesso mais democrático. Os cinemas, por sua vez, devem reduzir o preço dos ingressos em um terço, de modo que essa arte atinja mais pessoas. Só assim, o direito à cultura garantido em 1988 deixará de ser, finalmente, uma realidade distante.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!