ENTRAR NA PLATAFORMA
ENEM 2019 : Democratização do acesso ao cinema no Brasil

      De acordo com a Constituição Federal, promulgada em 1988, “todos têm direito ao lazer. Entretanto, a falta de democratização de acesso aos cinemas, no Brasil é contrária a esse princípio constitucional. Assim, seja pela histórica desigualdade social, seja pela ampla privatização dos espaços de lazer, faz-se necessário trazer à luz o debate sobre essa problemática.


 



     Em primeira análise, convém frisar que as desigualdades regionais e sociais no Brasil possuem um enraizamento histórico. Isso fica evidenciado pelas lutas populacionais ocorridas a fim de conseguir igualdade das classes, assim como ocorreu na Revolução Francesa em que o terceiro estado- população carente - lutava para conquistar a equidade com os burgueses, portadores de privilégios. Em paralelo com a atualidade, a discrepância social traz a segregação nos espaços de lazer, como os cinemas onde pôde-se observar a predominância das classes média e alta em detrimento da baixa.


 



     Ademais, vale ressaltar que a privatização dos espaços públicos é uma realidade nacional. Comprova-se isso ao analisarmos os poucos cinemas públicos em funcionamento hodiernamente, diferente do que ocorria em décadas passadas. Essa negligência estatal contrasta com “O Contrato Social” , de Jean Jaques Rousseau, em que o Estado tem poder, dado pelo povo, e esse, deve suprir todas as necessidades das pessoas. Assim, seja pelo dispositivo da Carta Magna, seja por atitudes governamentais, medidas necessitam ser adotadas para reverter esse cenário excludente.


 



     Logo, urge que o Ministério da Cultura, por meio de verba pública, reabra e inaugure cinemas públicos , com ingressos acessíveis para a população carente, possibilitando a democratização do espaço ao lazer. Assim, o Estado cumprirá a sua função de provedor da cultura.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde