ENTRAR NA PLATAFORMA
ENEM 2019 : Democratização do acesso ao cinema no Brasil

A obra "Utopia", do escritor inglês Thomas More representa uma sociedade perfeita, na qual o corpo social padroniza-se pela ausência de problemas e conflitos. Analogamente, no cenário brasileiro hodierno, percebe-se que a questão do acesso ao cinema configura-se como um empecilho, uma vez que seu acesso não é democratizado, o qual impede a concretização dos planos de More. Nesse contexto, evidencia-se que esse cenário antagônico é fruto tanto da negligência governamental, quanto da incompreensão social.


Em primeiro plano, é imperioso destacar a falta de empenho do governo como um fator determinante para a intensificação do problema. De acordo com a música "Comida", produzida pelos TITÃS, "a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte". De maneira análoga, nota-se que o grupo faz, de certa forma, uma referência ao acesso cinematográfico, haja vista que o Governo não se dedica a oferecer o acesso à arte para os pertencentes das camadas sociais mais baixas e, consequentemente, acaba causando uma exclusão da maioria dessa parcela da população. Dessa forma, é inadmissível que o Governo brasileiro não dê a devida importância para a democratização do acesso ao cinema.


Outrossim, é imperativo pontuar que a falta de empatia da sociedade é uma das principais causas do problema. Sob esse viés, pode-se mencionar que a maior parte da elite brasileira não acha necessário que as pessoas de camadas sociais inferiores tenham acesso aos meios de cultura, eles pensam que a população mais carente vive apenas de recursos básicos alimentícios e não necessitam de arte. Segundo a reportagem feita pelo site "Meio e Mensagem", cerca de 17% da população frequenta o cinema. Nessa linha de raciocínio, é evidente que esse acesso é elitizado, haja vista que mais de 80% da população brasileira está sendo marginalizada no que concerne ao acesso cinematográfico.


Infere-se, portanto, que ainda há entraves para construção de políticas que visem um Brasil melhor. Nesse sentido, urge que o Governo Federal - como agente que visa garantir o bem-estar social - através do Ministério da Cidadania, crie, por meio de verbas governamentais, cinemas populares, denominados "Cinecultura", garantindo que as camadas sociais com menor poder aquisitivo tenham acesso ao meio cinematográfico. Espera-se, com essa medida, que o acesso ao cinema seja democratizado no Brasil contemporâneo, evitando que os pertencentes das camadas sociais mais pobres sejam marginalizados. Dessa forma, o país poderia superar essa problemática e, concretizando os planos de More, seguir rumo ao progresso social.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde