O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

ENEM 2016 - prova 2

Segundo o escritor Stefan Zweig, em sua obra literária, “Brasil, país do futuro”, o Brasil de certo
seria uma nação do futuro. Entretanto, no século XXI, a intolerância religiosa ainda é um problema, assim sendo, naturalmente esse ideal do autor não se tornou realidade.


 


Primeiramente, é necessário destacar que a intolerância religiosa apresenta raízes no passado do Brasil, uma vez que desde sua colonização crenças indígenas eram alvo de preconceito, tal qual as religiões africanas, todavia no caso delas o preconceito sofrido era superior, por conseguinte do povo africano, escravizado, inegavelmente naquele triste período não ser reconhecido como um ser humano. Contudo, essa realidade não se manteve no passado, uma vez que essa intolerância se propaga até o século XXI.


 


A persistência dessa intolerância é perceptível, sem dúvida através da análise da cultura popular, sendo evidente até em desenhos infantis, como, por exemplo, o Pica-Pau, desenho animado americano, onde em um de seus episódios a prática do Vodu, religião africana, é associada com a maldade, sendo o adepto dela o vilão, de tal forma que a utiliza para controlar o protagonista. Dessa forma, fica nítido que essa triste realidade se mantém viva em virtude do apoio de produtos audiovisuais, sendo assim, medidas devem ser tomadas.


 


Portando, visando acabar com a intolerância religiosa no Brasil o Ministério da Educação deve criar a lei “Audiovisual Tolerante”, por meio dela os produtos audiovisuais devem ser verificados, caso contenha presença de conteúdo intolerante deve apresentar no início da obra e após um aviso que deixe claro a presença de tal representação errônea, para que assim a tolerância religiosa se torne realidade no Brasil e o ideal de Stefan Zweig se concretize.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!