O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Educação sexual e infância

 O programa televisivo brasileiro "Amor e Sexo", comandado pela apresentadora Fernanda Lima, objetivava como debate primordial questões relacionadas ao sexo. Embora tal diálogo acontecesse em canal aberto e democrático, a discussão acerca desse tema persiste como um tabu na sociedade brasileira, sobretudo, na fase jovem da vida. Essa conjuntura deve-se, majoritariamente, à ausência de diálogo no núcleo familiar, bem como no espaço escolar em relação a esse tema. 


 Cabe ressaltar, primeiramente, a família tem papel de extrema relevância na educação dos indivíduos, incluindo-se a educação sexual. Sob esse prisma, a obra "Microfísica do Poder", do teórico social Michel Fouccault aborda a existência de micropoderes socias, fora ou abaixo do aparelho do Estado, sendo a  família um deles, uma vez que possui como função a difusão de valores morais. Nesse sentido, é imprescindível que haja conversas que abordem o tema sexo, principalmente, sobre a realização desse ato de modo seguro, com o uso de preservativos e de métodos anticoncepcionais. Dessa forma, consoante à Organizaçao Mundial da Saúde (OMS), essa atitude é viável de moldar o comportamento de jovens para iniciar a vida sexual com maturidade consolidada e conscientes de tal decisão; por conseguite, é plausível de evitar o contato com infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) e a gravidez precoce.


  Outrossim, a escola, como insituição social formadora de opinião, deve contribuir à ampliação de informações e às orientações acerca da educação sexual aos jovens. Nesse viés, de acordo com o sociólogo Pierre Bourdieu, a escola não deve se distanciar do contexto de vida de seus integrantes, já que isso dificultaria a assimilação do conteúdo exposto na teoria com o da prática. Desse modo, a abordagem de assuntos sobre o aparelho reprodutor, as consequências das ISTs e o mecanismo de ação de contraceptivos proporciona um entendimento estendido quanto às relações sexuais. Assim, é fundamental que a educação sexual seja incluida na Base Nacional Curricular Comum (BNCC), visto que essse tipo de conhecimento pode ser aplicado ao cotidiano de seus participantes.


  Torna-se evidente, portanto, que medidas são necessárias para a estruturação da educação sexual aos jovens. Por isso, cabe à família, principalmente aos país, dialogar acerca desse assunto, por meio de conversas abertas e sem preconceitos, com o intuito de auxiliar os jovens a iniciar a vida sexual de forma consciente e segura. Ademais, o Ministério da Educação deve incluir a educação sexual nas escolas, por intermédio da BNCC, aliada à distribuição de materias didáticos, a fim de orientar e instruir os alunos acerca dessa realidade. Dessarte, é possível conversar sobre sexo, de maneira natural, como a apresentada Fernanda Lima procede no programa "Amor e Sexo".

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!