O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Educação inclusiva no Brasil

  Na série The Good Doctor, é retratado a narrativa de Shaun Murphy, médico autista, que passa por dificuldades de se adaptar aos seus colegas, devido ao seu transtorno. Fora da ficção, no Brasil, hodiernamente, encontra-se inúmeras adversidades em inserir deficientes em diversos setores da sociedade, dentre os quais, a educação - direito garantido pela Constituição Federal para todo cidadão. Sob esse viés, para que o problema seja solucionado, é necessário entender as principais causas: raízes históricas e falta de suporte Estatal.


  A princípio, nota-se que a exclusão dos portadores de deficiência não é uma dificuldade atual, já que na Grécia Antiga, esses indivíduos eram tratados como defeitos da organização social espartana, sendo assassinados ao nascerem. Nesse sentido, repara-se que essa problemática se deve às raízes históricas, tendo em vista que essa ideologia persiste de forma velada, dado que os deficientes não são mortos, porém, são tratados como inferiores e excluídos de diversas instituições, dentre os quais, as escolas, responsáveis pelo auxílio daquele para as interações socias. Faz imprescindível, portanto, a dissolução dessas raízes.


  Ademais, constata-se que a inadequação dos profissionais em atender as necessidades dos alunos especiais contribui com a exclusão desses estudantes. Além disso, essa ineficácia se deve à falta de investimento do Estado nessa área, fazendo com que os professores não tenham o suporte necessário para lidar com as deficiências desses discentes. Logo, conclui-se que o Estado não tem efetivado os direitos de todos os indivíduos, que segundo John Locke, é seu dever como poder maior.


  Em suma, são necessárias medidas que atenuem a exclusão educacional. Logo, a fim de garantir o direito à educação aos cidadãos, dentre os quais, os deficientes, cabe ao Ministério de Educação desenvolver um curso obrigatório que instrua os educadores à lidarem com as dificuldades dos alunos portadores de deficiência, através de materiais instrutivos e aulas didáticas. Outrossim, é fundamental que o MEC aumente a adesão de profissionais auxiliadores para as turmas que têm estudantes deficientes, para que, assim, esses discentes possam ser incluídos nas escolas comuns, desenvolvam relações sociais com outras pessoas e passem a ter uma educação de qualidade.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!