O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Doação de sangue no Brasil

No século XVIII, época do iluminismo, percebeu-se o grande avanço da ciência e da medicina, o que contribuiu de forma significativa para o bem estar da população. No entanto, um grande problema permeia o Brasil e o mundo, que é as poucas doações de sangue presentes atualmente, mesmo em países que contenham um grande contingente de pessoas. Como o sangue ainda não é sintetizado nos laboratórios, cabe essa tarefa de solidariedade da população. Nesse sentido, é válido ressaltar que a falta de informação e as barreiras que são impostas a determinados grupos, dificultam solucionar essa mazela.
O Brasil, país de grandes extensões territoriais, encontra-se abaixo da média ideal de pessoas que doam sangue (1,8%), tendo em vista que segundo a ONU (Organizações das Nações Unidas) deveria ser de 3% a 5%. Nesta perspectiva, percebe-se que esse pais emergente encontra determinadas barreiras em relação ao assunto tratado, e uma delas é a falta de conhecimento e informação por parte da sociedade. Portanto, o papel da mídia é essencial na resolução desse problema. Além do ponto citado, outro torna-se determinante: as localidades em que os hemocentros se encontram, uma vez que devido ao difícil acesso de locomoção, vários seres humanos deixam de contribuir com o seu sangue para salvar a vida de outras pessoas. Segundo o ator Franz Kafka, a solidariedade é o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade humana. Assim, a conscientização é a principal maneira de reverter a situação, e não os interesses de alguns benefícios materiais que são proporcionados. O essencial é simplesmente o ato de caridade.
Ainda mais, é importante salientar sobre os preconceitos que acometem a nação brasileira, haja vista que, até os dias atuais, os homossexuais são proibidos de doarem sangue, o que diminui grande contingente de colaboradores. Além disso, torna a discriminação mais relevante, tendo em vista que a orientação sexual não deveria ser um ponto imposto para decidir se um cidadão pode ou não ajudar. Sendo assim, essa medida atua de forma negativa sobre a população, dificultando na construção de um país melhor para todos.
Por conseguinte, é de total importância que os meios de comunicação (jornais, revistas, rádio, rede de televisão, etc) colabore com a elaboração de propagandas que deem aos leitores/receptores as informações necessárias e ao mesmo tempo os incentivem. É necessário que o governo, junto com a OMS, trabalhem para desativar a barreira imposta ao grupo citado anteriormente. Por fim, mas não menos importante, é essencial que as escolas façam palestram com os alunos e, assim, ajude na formação de um cidadão consciente.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!