O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Doação de sangue no Brasil

  No século XX, durante a Primeira Guerra Mundial em razão do grande número de feridos, a guerra serve de motivação e estímulo para às primeiras campanhas de doação de sangue. No entanto, contemporaneamente, o sistema de saúde brasileiro apresenta índices insatisfatórios no que se refere à parcela populacional doadora de sangue. Nesse sentido, é necessário discorrer sobre os fatores que causam essa problemática, dentre os quais se destacam a falta de informação e a insuficiência governamental.


  A princípio, cabe ressaltar que a falta de conscientização da população é um dos maiores limitadores da doação de sangue no Brasil. Isso ocorre, haja vista que esse ato de solidariedade ainda é cercado de estigmas, nos quais devido à falta de debate sobre o assunto faz com que os brasileiros tenham receio em doar. De acordo com a Organização Mundial da Saúde apenas 1,6% dos cidadãos doam sangue, uma vez que a recomendação da OMS, para deixar a sociedade segura, é que esteja entre 1% e 3%. Diante disso, é imprescindível que o Estado efetue políticas públicas para estimular a doação de sangue no país.


  Além disso, é incontestável que a irregularidade nas campanhas publicitárias acerca da doação sanguínea prejudica a disseminação dessa prática. Na obra de Raízes do Brasil do escritor Sérgio Buarque é possível perceber os brasileiros como um ser cordial que é movido pela solidariedade. Entretanto, trazendo essa alusão para o contexto da doação de sangue, essa empatia descrita não tem sido efetivada como deveria em razão da insuficiência governamental, pois, falham em promover campanhas que informem os cidadãos sobre o procedimento de doar e sua importância. Desse modo, é indiscutível que a inoperância governamental obstaculiza o funcionamento adequado dos hemocentros.


  Infere-se, portanto, que medidas devem ser tomadas para resolver os impasses da doação de sangue no cenário brasileiro. Para tanto, o Ministério da Educação, órgão responsável pelas políticas educacionais, deve promover nas escolas projetos voltados para a conscientização da importância de doar sangue. Isso pode ocorrer por meio de palestras e debates, a fim de captar o doador desde infância para assim construímos o doador do futuro. Ademais, o Governo Federal personificado no Ministério da Saúde, deve criar campanhas publicitárias, mediante plataformas televisivas (Rede Globo e Record), rádio e redes sociais (Instagram e Twitter) com o fito de informar e conscientizar a população sobre os benefícios da doação.


 

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!