ENTRAR NA PLATAFORMA
Doação de Órgãos no Brasil

  Desinformação, má infraestrutura, religião: esses são alguns obstáculos que impedem a doação de órgãos. No Brasil, a deslegitimação da escolha do indivíduo resultou em mais um estorvo.


  Inicialmente, até o final do século XX, a lei presumia que os brasileiros eram doadores, mas uma reformulação em 2001 transferiu para os familiares do paciente morto a responsabilidade sobre seus órgãos. Dessa forma, mesmo que a pessoa tenha optado em vida por doar, após falecer seu desejo é suprimido perante a vontade de sua família.


   Em segundo lugar, a mudança promovida pelo Legislativo vem se provando ineficaz, já que segundo o Ministério da Saúde, no último ano o número de enfermos aguardando um transplante cresceu em 3 mil. Sendo assim, no momento de optar pela concessão os responsáveis acabam negando. É preciso debater sobre essa temática, para acabar com esses possíveis dilemas que se tornam um impedimento.


   Portanto, medidas são necessárias para solucionar esse impasse. Cabe ao Governo Federal junto ao Ministério da Educação promover campanhas com objetivo de informar sobre morte encefálica e a importância de ser um donatário, visando com que a população entenda ser uma ação necessária para salvar outras vidas. Logo, essa conscientização deve ser feita através da contratação de profissionais qualificados para palestrar nos hospitais públicos e escola. Desse modo, no futuro teremos um país com uma mortalidade menor.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde