ENTRAR NA PLATAFORMA
Doação de Órgãos no Brasil

A Revolução Técnico-Científico-Informacional corroborou para adventos tecnológicos, os quais possibilitaram avanços na medicina. Nesse contexto, observa-se hodiernamente, a negligência governamental no que tange investimentos em hospitais e escassez de propaganda como entraves para a efetiva doação de órgãos no Brasil, a qual foi facilitada com a evolução da tecnologia. Sendo assim, tal problemática merece a análise crítica de enfrentamento.



Em primeira análise, o caráter omisso do Poder Público influencia negativamente a realização de transplantes no Brasil. Acerca disso, a série “Grey’s Anatomy” retrata a eficiência de um hospital americano potencializada infraestrutura e investimentos. Entretanto, no Brasil observa-se o oposto, muitos locais não têm capacidade de realizar o procedimento por conta da falta de equipamentos e ambiente adequado, ademais, a demora no transplante dos órgãos acarreta a falência dos mesmos. Dessa forma, é necessário que as autoridades assistam às necessidades do sistema de saúde brasileiro, já que conforme a Secretária de Saúde de São Paulo, um doador pode salvar sete vidas.



Em segunda análise, deve-se pontuar, a carência de publicidade como obstáculo para a realização de alotransplantes. Nesse sentido, em 1904, na cidade do Rio de Janeiro, ocorreu a Revolta da Vacina, movimento resultante da inexistência de informação passada à população pelo poder público sobre a vacinação. Analogamente, a baixa frequência de discussão e propagandas no que tange a doação de órgãos resulta no desconhecimento da importância da mesma e corrobora para o insuficiente número de transplantes realizados no Brasil. Logo, esse cenário reflete e explícita, a imprescindibilidade da difusão de conhecimento de tal quadro. 



Evidencia-se, portanto, que a falha atuação do Poder Público em melhorias nos hospitais e a escassez de propaganda são entraves para realização de doação de órgãos. Por conseguinte, cabe ao Ministério da Saúde em parceria com as mídias, realizar propagandas com pacientes que obtiveram órgãos de doadores. Além disso, devem exibi-las em horário nobre nos principais canais televisivos do país para difundir a importância desse ato e assim o crescimento do número de doações. Dessa forma, alcançar-se-iam o êxito nas doações de órgãos como previsto pelos avanços técnológicos. 

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde