ENTRAR NA PLATAFORMA
Doação de Órgãos no Brasil

O início do século XX no Brasil foi marcado pela implementação de diversas campanhas sanitárias a fim de melhorar a saúde pública. Entretanto, após a declaração da obrigatoriedade das vacinas, o governo enfrentou grande revolta popular embasada na desinformação referente à imunização. Atualmente, a ignorância ainda prejudica a erradicação de doenças e afeta diretamente o aumento das doações de órgãos – grave problema que impede que mais vidas sejam salvas. Além disso, a infraestrutura precária é fator determinante da não transplantação.


Em princípio, é importante destacar que o número de doações nos últimos anos ascendeu, segundo dados da Associação Brasileira de Transplante de órgãos. Todavia, ainda existem desafios para atingir o número ideal de doadores: a redução do desconhecimento sobre o procedimento e o fomento ao debate intrafamiliar. Nesse contexto, a série “Sob Pressão” retrata a morte de um jovem e a negativa da sua mãe referente à retirada dos órgãos, representando a ignorância que dificulta o convencimento dos familiares enlutados.


Outrossim, pode-se destacar que a infraestrutura precária da rede pública de saúde no Brasil prejudica transplantes eficazes. Após a morte cerebral, há poucas horas para realizar a transferência, que necessita de transporte seguro e rápido, além de hospitais equipados em todo o território nacional. Desse modo, não adiantaria que o número de doações aumentasse sem que houvesse a organização necessária para suprir a demanda.


Em suma, apesar do crescimento de doadores nos últimos anos, é imprescindível continuar a busca pelo aumento de ofertas e melhorias nas estruturas hospitalares. Para que a meta ideal seja alcançada é necessário que o Legislativo altere a lei, permitindo que o doador declare em vida seu desejo através de documentação. Tal manifestação deverá ser registrada na carteira de identidade ou em cartório, como um testamento. Ademais, é importante que o Executivo implemente palestras nas escolas e investimento em infraestrutura. Assim, será possível proporcionar mais transplantes, garantindo aos receptores uma nova chance de viver, como as vacinas fizeram.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde