O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Desmilitarização da Polícia Militar

Ataques. Massacres. Desaparecimentos. São apenas alguns dos principais pontos que são levados em consideração quando a desmilitarização da polícia militar está em questionamento. Segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, entre 2011 e 2015, foram registrados um número maior de mortes violentas no Brasil do que na guerra da Síria.
A polícia tem o papel de proteger a sociedade e seus direitos, mas não é o que os atuais dados mostram. O uso da força exageradamente, em situações como manifestações, preocupa grande parte da população. De acordo com dados divulgados pelo Datafolha, 59% da população têm medo de ser vítima da PM.
A hierarquia no sistema militar ao requisitar obediência às ordens superiores, resulta em resoluções de conflitos descentralizadas; o coronel é quem dá ordens e monta operações. Mas como está longe da realidade da sociedade, muitas vezes, o que na visão dele seria uma solução plausível, na realidade está longe de ser aplicado na coletividade.
Em um sistema antiquado e falho, é inegável admitir que devem haver mudanças. A junção das polícias militar e civil, resultaria em uma redução de gastos, melhores condições de trabalho para os policiais e a formação de um policiamento mais cidadão. Segundo o artigo 144 da Constituição de 1988, as polícias militar e civil estão separadas. Com aprovação, uma emenda constitucional poderia juntar as duas, assim, desmilitarizando a polícia.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!