O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Desinformação na Era da Informação

Delações premiadas. Um novo escândalo de corrupção. Mais uma vítima de assédio sexual no metrô de São Paulo. Um outro esquema de corrupção foi descoberto pela Polícia Federal. O desmatamento na Amazônia cresce, na Mata Atlântica também. Terremotos. Testes nucleares. Resumindo, todos os dias são jogados dezenas de informações, que na maior parte das vezes, não somos capazes de compreender. Não há tempo para processar o volume crescente de dados. No entanto, pede-se que as pessoas tenham opiniões sobre tudo, basicamente. Nisso corre-se o risco de argumentações vazias de conteúdo e cheias de ódio.
Odiar algo ou um grupo de pessoas é um caminho natural, pois simplifica os problemas e permite que exista distanciamento entre quem critica e o que é criticado. Quando critica-se a corrupção, logo é dito "eles, os políticos", ignora-se a corrupção praticada por ela mesma. As falsas notícias geralmente geram mais audiência porque mexem com sentimentos fortes de ódio e medo. Se alguma dessas notícias reitera uma crença pré-existente, por exemplo, uma aversão a determinada pessoa, muitos não se darão ao trabalho de verificar a fonte e compartilharão. No entanto, a depender da informação que é veiculada e a quem e de que forma isso atinge, as consequências podem ser desastrosas, como foi o caso em Guarujá do boato que circulou na internet e fez uma pessoa inocente ter linchada por ter sido confundida com uma sequestradora de crianças.
Qual poderia ser a solução para a disseminação de notícias falsas? As grandes corporações podem (e devem) limitar a propagação de sites que utilizam deste tipo de conteúdo para lucrar, porém isso ocorre de maneira tão rápida que não é viável delegar para as mídias toda responsabilidade pelo o que é divulgado. As pessoas precisam ter bom senso e resistir para não passar adiante informações sem checar antes se determinada notícia é verdadeira ou não. E, acima de tudo, é necessário que não tente-se fazer justiça com as próprias mãos, pois mesmo que uma notícia falsa se espalhasse, nada aconteceria se não existissem "os justiceiros".

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!