ENTRAR NA PLATAFORMA
Desaparecimento de pessoas no Brasil

   "O Brasil é um país do futuro", disse Stefan Zweig em umas das primeiras viagens ao país. Judeu e Austríaco o escritor fugiu de sua terra natal no auge do governo Adolf Hitler, e encontrou um segundo lar no Brasil. No entanto, quando se observa o desaparecimento de pessoas no Brasil, percebe-se que a profecia não saiu do papel. Desse modo, questiona-se quais são as causas que favorecem na formação desse problema na sociedade brasileira.

   Momente, ao analisar o desaparecimento de pessoas no Brasil por um prisma midiático, nota-se influência desse fator na problemática. Conforme Pierre Bordieu, o que foi criado para ser um instrumento de democracia não pode ser convertido em mecanismos de opressão. Nessa perspectiva, pode-se observando que a mídia, em vez de promover debates que elevam o nível de informação da população, influência na consolidação do problema. 

   Além disso, outra dificuldade enfrentada é a questão da base educacional. Nesse sentido, o filósofo Schopenhauer defende que os limites de campo de visão de uma pessoa determinam seu entendimento a respeito do mundo. Isso justifica outra causa do problema: se as pessoas não têm acesso à informação séria sobre o desaparecimento de pessoas, sua visão será limitada, o que dificulta a erradicação do problema. 

   É evidente, portanto, que tais entraves precisam ser solucionados. Logo, é necessário que as prefeituras, em parceria com o governo, proporcionam a criação de oficinas educativas, a serem desenvolvidas nas semanas culturais dos colégios estaduais. Esses eventos podem ser organizados por meio de atividades práticas, como dinâmicas, jogos, de modo a proporcionar a visualização do assunto. 

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde