O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Desafios para a inclusão de refugiados na sociedade brasileira

É indubitável que a crise de refugiados vivenciada nos dias hodiernos é considerada a mais relevante desde a Segunda Guerra Mundial. A crise na Venezuela e a prolongada guerra civil na Síria são os principais responsáveis por esse intenso fluxo de pessoas para várias localidades do globo, inclusive para o Brasil. Nesse contexto, a falta de investimentos brasileiros para abrigar essa comunidade recém chegada, bem como o crescimento assustador da xenofobia são os fatores que dificultam a inclusão dos exilados na sociedade brasileira.
Convém ressaltar, a princípio, que o termo refugiado diz respeito às pessoas que foram forçadas a saírem de seus países de origem por perseguições religiosas, políticas ou étnicas. Não raro, vale citar que tais movimentos sociais foram presenciados inúmeras vezes ao longo da história, como a fuga de milhares de judeus da Alemanha durante o nazismo de Hitler. Nesse ínterim, o Brasil se tornou um dos principais locais de escolha de refugiados, principalmente de sírios, haitianos e venezuelanos. No entanto, a ausência de investimentos para políticas públicas direcionadas a essa parcela da população dificulta a permanência deles no país, uma vez que não encontram meios de sobrevivência dignos.
Ademais, outra questão que se encontra em crescimento progressivo e proporcional ao número de expatriados é a xenofobia, que se caracteriza pela aversão aos estrangeiros. Somente em 2017, o Brasil recebeu cerca de 35 mil solicitações de abrigo para os refugiados, e o número de denúncias contra atos xenofóbicos passou de 45 em 2014 para aproximadamente 400 em 2017, segundo dados do Sistema Especial de Direitos Humanos. Todavia, esses dados estatísticos são subestimados, uma vez que os atos violentos e preconceituosos são vistos com muita frequência na rotina brasileira do que as acusações feitas diariamente.
Destarte, é de suma importância que o Governo, em parceria com as prefeituras, direcione parte dos recursos públicos para a ampliação de serviços básicos, a fim de atender a esse aumento populacional atual. Essa ação deve ser executada através da contratação de mais profissionais da área da saúde para o setor primário, como nas unidades básicas interioranas, além de aumentar a oferta de vagas nas escolas públicas com o propósito de abarcar as crianças e adolescentes refugiados. Além disso, é necessária a intensificação de políticas de conscientização em massa, pelo Ministério da Justiça, através de propagandas midiáticas na televisão, rádio e em redes sociais, salientando a relevância da denúncia em casos de hostilização, violência verbal ou física ou qualquer ato de preconceito sofridos pelos estrangeiros. Dessa forma, com a união da sociedade e das forças governamentais, o Brasil pode iniciar um novo ciclo despido de xenofobia, racismo e envolto de dignidade e solidariedade para com o próximo.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!