ENTRAR NA PLATAFORMA
Desafios éticos e morais da Inteligência Artificial

   As revoluções comunicacionais foram de fundamental importância para o progresso da humanidade. Assim, o surgimento da escrita possibilitou o acúmulo de conhecimento, a imprensa permitiu a difusão em massa das notícias, a fotogragia introduziu a cultura da imagem e a era digital dispensou o meio físico para a transmissão de informações. No entanto, o desenvolvimento da inteligência artifical, durante o período da Guerra Fria, levanta preocupações atuais em relação aos desafios éticos e morais da convivência entre super computadores e seres humanos. Nesse contexto, convém avaliar as fatores que colaboram para esse quadro.


   Em primeiro lugar, de acordo com o empresário Steve Jobs, "a tecnologia move o mundo". Seguindo essa análise, em virtude dos avanços nos meios de transporte e comunicação oriundos da globalização, foi possível o surgimento dos equipamentos robóticos. Nesse sentido, os aparelhos cibernéticos conferem vantagens para o dia a dia de empresas e multinacionais na medida em que são capazes de armazenar uma enorme quantidade de dados e, além disso, oferecem mecanismos para a auxiliar o tratamento de doentes, como, por exemplo, a impressão de órgãos 3D. Diante desse fator, debates éticos e morais são travados pela sociedade civil quanto a substituição da mão de obra humana por máquinas especializadas, contudo, a inteligência artificial tem por objetivo servir de apoio para a realização de tarefas repetitivas. Dessa forma, é viável pensar nos computadores especializados como suporte para desenvolver diversas atividades e não como ameaças para o Homo sapiens.


   Sob esse ponto de vista, segundo o filósofo Aristóteles, "a arte imita a vida". Todavia, a maior parte dos filmes de ficção científica retratam condições de descomedido exagero para com a utilização da inteligência artificial, logo, provocam resistência e temor nos telespectadores. Nessa perspectiva, o filme "Ela" aborda uma trama no qual um homem divorciado se apaixona por um sistema operacional, entretanto, na prática, tal situação não se verifica em razão da impossibilidade das máquinas apresentarem quaisquer tipos de sentimentos humanos. Dessa maneira, de forma racional, o conjunto de normas e valores, que ajudam na manutenção da ordem social, deve ser discutido para facilitar no melhor aproveitamento dos computadores multifuncionais. Destarte, os sistemas operacionais precisam ser vistos não com idealizações, mas de modo simples e direto de acordo com a função que desempenham e nada mais.


    Fica evidente, portanto, que a inteligência artificial é uma vantagem indispensável para a comunidade. Por conseguinte, para total compreensão da importância do uso das máquinas como apoio aos serviços realizados por seres humanos, cabe aos veículos midiáticos desconstruir ideias cibernéticas que não condizem com a realidade e, consequentemente, desobedecem preceitos éticos e morais. Isso pode ser feito por meio da produção de séries e filmes que tenham como pauta principal as facilidades proporcionadas pela utilização de computadores especializados. Dessa forma, as narrativas devem focar na cooperação para o bem-estar dos indivíduos, afinal, as máquinas estão a serviço das pessoas e não o contrário. Por fim, por intermédio da indústria de entretenimento, será possível gerar real assimilação com o cotidiano e, como resultado, escolher a maneira mais eficiente e eficaz para definir a conduta humana em relação aos sistemas operacionais.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde