ENTRAR NA PLATAFORMA
Desafios do jornalismo contemporâneo

 Com o início da Ditadura Militar no Brasil em 1964,uma das atividades que mais sofreram,sem duvídas,foi a jornalística,visto que houve uma forte implementação da censura no país.Não obstante,os jornalistas contemporâneos ainda encontram desafios para o exercício pleno de sua profissão,entretanto,causado por um fenômeno,gerado nas redes sociais,que ataca a integridade de suas matérias e de suas instituições,muitas vezes desvirtuando as notícias obtidas,de forma ética,e,pois,denegrindo-os.Nessa perspectiva,faz-se mister analisar a funcionalidade,a consequência e a possível medida de solução para o revés destacado.


 Em primeiro lugar,é necessário compreender que o surgimento de plataformas como o Youtube,facilitou muito que "vloggers" exprimam de forma injuntiva o seu ponto de vista sobre um oceano de interlocutores.De acordo com a história,no governo totalitário nazista,na Alemanha,Hitler exigia a criação de propagandas que ridicularizassem tudo aquilo que ele se colocava contrário,ou seja,judeus,comunistas,gays e negros.É,desse modo,evidente que a permanência de vídeos fomentadores de ódio e de agressão à opiniões diversas,na plataforma,se estabelece como um risco social,haja vista que essas atitudes podem levar uma agressão moral ou física da parte dos seguidores desses "youtubers" para a parte dos profissionais do jornalismo,além de possuirem uma característica nazista.


 Conseguinte,quando um indivíduo acumula diversos seguidores e começa a propagar verdades distorcidas acerca de fatos reais e estatíscos,ele faz com que seus fiéis ignorem qualquer fonte alternativa de notícias,com o intuito de que boicotem os jornais.Segundo Immanuel Kant,filósofo iluminista,a eticidade de algo se dá por meio de uma lei moral chamada de imperativo categórico,a qual afirma que:caso uma ação traga bem à sociedade ela é ética,caso contrário ela é antiética e deve ser extinguida.Dessa forma,a ética kantiana,somada ao fato de que o Brasil é um país constitucionalmente democrático,demonstra o quão antiética se faz a atitude de promover ódio e melindrar os meios tradicionais de informação,apenas por ser contra os fatos destacados por esses jornais.


Em suma,compete ao Estado,em parceria com o Poder Executivo e com o Poder Legislativo,ampliar a margem de entendimento sobre o que é censura e punir com a aplicação de uma multa significativa os culpados por ameaçarem o âmbito laboral jornalístico.Contudo,essa medida deve ser tomada por meio de um projeto de lei elaborado pelo Executivo e votado na Câmara dos Deputados,ou seja,por via democrática e legal.A fim de tornar,então,a liberdade de imprensa um direito realmente vivo em nosso tecido social e de resgatar os repórteres dessa injuntividade colocada por criadores de conteúdos agressivos e provedores de ódio.Assim,será possível garantir,finalmente,que os jornalistas brasileiros consigam exercer de forma plena seu ofício,sem que hajam chances de censura e agressões morais ou físicas.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde