ENTRAR NA PLATAFORMA
Desafios do jornalismo contemporâneo

Os desafios do jornalismo contemporâneo


No ano de 2019, o acesso à internet completa 50 anos. Em 1969, foi enviado o primeiro e-mail na Universidade da Califórnia nos Estados Unidos para facilitar a comunicação confidencial no país. Desde então, a internet é usada em muitos países como meio facilitador de relações, todavia o jornalismo contemporâneo encara desafios em lidar com ela e o espalhamento de notícias. Por um lado, a internet foi uma forma de dar poder ao povo. Por outro lado, essa mesma invenção é capaz de manipular a população por meio de notícias falsas. Logo, o análise dessa controvérsia é essencial.


A priori, por um lado, a internet foi uma forma de dar poder ao povo. Segundo Alain Touraine, a desigualdade é estabelecida pela diferença de informação entre as classes, de forma que quanto mais informação uma classe tiver, mais poderosa ela será. Porém, com o aumento do uso da internet por diferentes classes sociais, a diferença de acesso à informação tem diminuído, uma vez que, a população é atualizada sobre notícias políticas e artigos. De modo que, esse aspecto facilita a liberdade de expressão nas redes e organização de manifestações. Assim, cabe aos jornalistas difundir tais notícias politizadas nas plataformas populares.


Entretanto, por outro lado, é desafio do jornalismo hodierno lidar com a forma que a rede pode manipular a sociedade. Nossas escolhas e decisões são diretamente influenciadas pelas propagandas, de acordo com o ideário de Norbert Elias. Isso ocorre, pois a manipulação que é feita nas mídias por notícias feitas não por jornalistas, mas por quaisquer fontes e propagandas é grande. Esse fator, pois, ajuda na formação de uma sociedade alienada, e também, torna-se improvável o controle dessa quantidade de “fake news” por jornalistas.


Portanto, em conformidade ao supracitado, embora os internautas tenham acesso à informação hodiernamente, o jornalismo enfrenta desafios difíceis para filtrarem sozinhos todas as notícias. Dessa maneira, urge que o Poder Legislativo formule leis que direcionem plataformas, como “Facebook”, “Twitter” e outras; a indicar jornalistas e jornais confiáveis ao público, por meio da obrigatoriedade do uso de um selo de verificação da profissão ao lado da conta do criador de notícias confiável, para fim de diminuir os índices de divulgação das notícias falsas na “web”. Dessa maneira, a internet voltará a ser usada para a comunicação e será um meio facilitador de relações entre os indivíduos de diferentes países.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde