ENTRAR NA PLATAFORMA
Criptomoedas e impactos na economia

Funcionando conforme a primeira lei de Newton, a lei da inércia, a qual afirma que o corpo tende a permanecer em seu movimento até que uma força suficiente atue sobre ele mudando-o de percurso, a falta da total desmistificação das criptomoedas é um problema que persiste na sociedade brasileira, gerando impactos na economia, há algum tempo. Com Isso, em vez de funcionar como a força suficientemente capaz de mudar o percurso deste problema, da permanência para a extinção, os mecanismos de auxílio, aliados à razão estrutural acabam por contribuir com o cenário atual.
Primeiramente, é possível perceber, preocupantemente, que essa circunstância deve-se a questões político-estruturais. Segundo o presidente-executivo do mercado Bitcoin Rodrigo Batista, o número de investidores cresceu cerca de 275% em relação ao ano anterior, no entanto mesmo com seu grande crescimento não nota-se uma grande eficácia de meios que proporcionem o conhecimento acerca de seus benefícios na economia. Esse dado evidencia a baixa eficiência de mecanismos de auxílio, tais como o Ministério da Justiça e o Ministério da Ciência e tecnologia, em promover o ensino sobre os impactos positivos que podem ser gerados pelas criptomoedas. Diante disso, é notório que a existência desses meios é de suma importância, mas suas ações não estão sendo satisfatórias para melhorar os índices alarmantes dessa problemática.
Além disso, é cabível afirmar que essa situação, extremamente nociva, acontece devido à razão estrutural que é o Fato Social. Segundo Durkheim, o Fato Social é uma maneira coletiva de agir e pensar, dotada de exterioridade, coletividade e coercitividade. Ao seguir essa linha de pensamento, observa -se que a lenta mudança na mentalidade de parte da sociedade, sobre a importância das criptomoedas para a economia, pode ser encaixada na teoria do sociólogo, uma vez que, se uma criança vive em uma família com esse comportamento, tende a adotá-lo ,também, por conta da vivência em grupo. Assim, o combate a esse problema deve começar tentando fazer com que os jovens não adotem essa maneira de agir e pensar de seus familiares, para isso é fundamental o trabalho da escola.
Infere -se, portanto, que ações conjuntas do governo e da sociedade são necessárias para a realização da mudança de percurso desse problema. Nesse sentido, para que a excelência nos mecanismos de auxílio seja firmada, urge que o Ministério da Justiça, por meio do melhor investimento do dinheiro público, formule leis que estabeleçam a criação de centros públicos de ensino sobre as criptomoedas, que contem com horários estendidos e profissionais capacitados, bem como a distribuição de cartilhas com textos informativos sobre esse tipo de moeda. Outrossim, com o propósito de romper a persistência da maneira de agir e pensar, a qual gera o problema, é essencial que o Ministério da Educação e Cultura juntamente com a sociedade desperte um senso crítico nos jovens sobre tal questão, a começar por palestras educativas que retratem a importância da criptomoeda na economia, e também por intermédio da implementação nos livros didáticos das diversas áreas, à conscientização das consequências que podem ser geradas pela mistificação dessa forma de dinheiro. Outras medidas devem ser tomadas, mas, como disse Oscar Wilde: " O primeiro passo é o mais importante na evolução de um homem ou nação".

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde