O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Crimes cibernéticos no Brasil

      Na série estadunidense "Mr. Robot", o personagem Elliot Alderson é um hacker que domina empresas a partir das informações pessoais dos funcionários. Fora da ficção, crimes cibernéticos como esse tornaram-se cada vez mais comuns, especialmente no Brasil. Dessa forma, a falta de informação sobre a importância da segurança pessoal, além da escolha feita por companhias de tecnologia de priorizar o lucro em detrimento da privacidade, explicam a frequência com que violações de direitos ocorrem na internet.


    A princípio, é fato que a Revolução Técnico-Científico-Informacional, iniciada no século XX, alterou permanentemente o acesso a informação com o advento da internet. No entanto, a aparente infinita disponibilidade de recursos pode gerar uma falsa sensação de segurança em seus usuários, ao mesmo tempo em que expõe suas vulnerabilidades. Assim, desinformação e falta de detalhes quanto aos cuidados individuais a serem tomados no mundo online tornaram o Brasil o segundo país com maior número de crimes virtuais, de acordo com a Norton Cyber Security. Nesse viés, brasileiros tendem a priorizar um acesso rápido à internet em detrimento da proteção de seus dados pessoais, a exemplo do aumento do uso de "cookies", arquivos que rastreiam hábitos de navegação e podem ser maliciosos.


        Ademais, tal comportamento imprudente da sociedade também pode ser explicado pela atitude de empresas de tecnologia, que não investem o suficiente na correção de falhas de segurança, já que tal procedimento não influencia significativamente nos lucros. Sob tal ótica, o filósofo Pierre Bourdieu afirma que "o que foi criado para ser instrumento da democracia não deve ser mecanismo da opressão". Relacionando-se a tal ideia, as corporações tecnológicas devem estar a serviço de seus usuários, e não ao lado da pressão capitalista que viola direitos da vida particular.


      Torna-se evidente, portanto, a necessidade de constante vigilância no ciberespaço. Nesse cenário, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Informação deve, em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, aumentar a fiscalização da lei de proteção de dados e punir, com multas, empresas que descumpram tal regulamento. A partir de tais medidas, realizadas através de investimentos financeiros direcionados, o governo brasileiro será capaz de amenizar o número de crimes cibernéticos, objetivando uma maior proteção de seus cidadãos e evitando que situações como a de "Mr. Robot" ocorram na realidade.


 

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!