ENTRAR NA PLATAFORMA
Crimes cibernéticos no Brasil

       No filme "A Rede Social", a personagem Marck Zuckemberg cria um protótipo do Facebook com o intuito de humilhar as estudantes da Universidade de Harvard, as comparando com os animais de uma fazenda. Esse tipo de atrocidade virtual não é exclusivo da longa-metragem, visto que a prática de crimes cybernéticos é, infelizmente, uma constante no Brasil. Logo, faz-se justo avaliar o fator que catalisa esse problema, bem como um exemplo de seu desdobramento e, por fim, como ceifá-los.


        A priori, vale citar que os crimes cybernéticos são facilitados pela ingenuidade da população frente à internet. Essa inocência acontece porque o Estado se abstém de ensinar os indivíduos a protegerem a sua privacidade no ambiente virtual. Nesse sentido, as pessoas são culturalmente acostumadas a aceitarem os Termos de Uso de um aplicativo sem realmente lê-los, por exemplo. Sendo esse fato, então, um agente propiciador para a coleta dos dados pessoais dos navegantes. Esse absurdo atenta contra o Artigo 5° da Constituição Federal de 1988, em que é promulgado o direito à privacidade . Logo, percebe-se que é crucial uma educação tecnológica aos cidadãos para que ocorra o fim dessa conjuntura.


         À seguir, tem-se a invasão da privacidade como uma amostra da transgressão virtual. Tal fato ocorre pelos interesses político-econômicos. Sob esse ponto, acessar os dados pessoais dos indivíduos facilita o direcionamento de campanhas políticas específicas às pessoas; além de moldar os indivíduos pelas suas predileções por certas ideologias sociais até a simpatia musical. Sobre isso, é interessante lembrar da teoria do "Esclarecimento" do filósofo Kant, em que os indivíduos vivem em uma  menoridade intelectual,isto é, não possuem autonomia sobre as suas decisões, sendo, então, constantemente manipulados. 


        Portanto, é preciso que o Ministério da Educação- sendo o órgão superior de assuntos educacionais do Brasil- inclua o assunto Educação Tecnológica nas salas de aula brasileiras.  Essa ação pode ser realizada por meio do incremento desse assunto à BNCC, podendo ser ensinada juntamente com a matéria de Sociologia e com a participação de profissionais da área da segurança virtual, para que eles ensinem aos estudantes a importância da privacidade na internet. Ademais, urge que o Ministério da Justiça multe as empresas que invadirem as informações confidenciais dos cidadãos. Com essas medidas, os crimes virtuais no Brasil serão assunto apenas para o cinema, bem como em "A Rede Social".

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde