O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Cotas

Comenta-se com frequência sobre o benefício, ou malefício, que a Lei das Cotas pode trazer a sociedade universitária. Apesar de ter se passado oito anos desde a sua instauração, os questionamentos sobre a sua importância continuam, colocando em questão a desigualdade socioeconômica e o abismo entre a qualidade de ensino público e privado no Brasil. 
Desde que a lei número 12.711/2012, conhecida como Lei das Cotas foi instaurada, ela visa ajudar os menos favorecidos beneficiando o acesso a estudantes de escolas públicas, baixa renda, negros, pardos, índios e/ou deficientes, a terem acesso a uma instituição de ensino superior. Como essa lei ajuda os menos favorecidos, a desigualdade socioeconômica entra nesse quesito, e o Brasil está em 7° lugar no ranking de países mais desiguais do mundo, ficando atrás somente do continente africano, segundo dados do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, PNUD. 
Segundo pesquisas feitas no Google, as melhores notas de vestibulares vieram de escolas particulares, muito caras, por sinal. Portanto, é esse o abismo entre o ensino público e privado. Enquanto os colégios particulares preparam seus alunos desde o 9° ou até mesmo no 1° ano do ensino médio, E.M, para os vestibulares da vida, os públicos esperam chegar no 3° ano do E.M para começar esse preparo, sem contar os lugares em que não há preparo nenhum. 
Portanto, a Lei das Cotas é de suma importância para os jovens do país. Desse modo, cabe ao Ministério da Educação reformular a lei, e em conjunto com as escolas de todo o país, reorganizar o ensino público, de maneira que o preparo para os vestibulares comece desde o início do ensino médio. Além disso, analisar a porcentagem que se encaixa nessa lei, e se for o caso de estarem em maior número, aumentarem, a porcentagem para as cotas universitárias.  
     

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!