O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Capacitismo no Brasil

     O século XXI é marcado por diversos avanços científicos que mudaram os paradigmas das doenças humanas. No entanto, isso não fez com que a sociedade brasileira mudasse a ideia de que as pessoas com deficiência são inferiores a pessoas sem deficiência. Essa questão tem como impulsionadores a perpetuação de estereótipos e a carência de informações referente ao assunto. Então, tornam-se necessárias intervenções a fim de resolver o problema.


     Em primeiro plano, é importante salientar, que segundo o sociólogo Émile Durkheim, os ''Fatos Sociais'' são instrumentos sociais ou culturais que determinam o agir de um indivíduo. Sob essa ótica, os veículos de comunicação, ao tratarem sobre o assunto deficiência remetem a ele um sentido de superação ou incapacidade. Dessa forma, a mídia transfigurou-se no principal propagador de estereótipos sobre a defiência, tornando inviável a independência plena de quem a possui.


     Ademais, em uma sociedade capitalista, na qual a prioridade é o lucro, pouco capital é investido em campanhas que conscientizem a população em relação a falta de oportunidades e de tratamento igual para pessoas com deficiência, pois isso não aparenta trazer retorno financeiro à sociedade. Esse cenário evidencia uma sociedade individualista, ilustrando a ideia de Modernidade Líquida de Zygmunt Bauman, em que, segundo ele, ''As relações escorrem pelos vão dos dedos.''


     Portanto, a carência de conscientização representa a principal causa do problema. Então, são necessárias ações efetivas do Poder Federal. Ele agirá por meio do Ministério da Educação, ao subsidiar profissionais na  área da saúde, em troca, eles deverão realizar palestras e dinâmicas em escolas e proporcionar apoio aos alunos, com a finalidade de informar eles sobre o assunto. Sendo assim, o capacitismo será superado na sociedade.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!